Intel desenvolve “acelerador” de hardware para mineração de Bitcoin

A gigante tecnológica Intel está trabalhando em um "acelerador" de mineração que reduzirá os custos de energia para a produção de Bitcoin e de outras criptomoedas.

Publicado em 31 de Março de 2018 por

A gigante tecnológica Intel está trabalhando em um “acelerador” de mineração que reduzirá os custos de energia para a produção de Bitcoin e de outras criptomoedas. Isto foi afirmado no pedido de patente relevante publicado um dia antes pelo US Patent and Trademark Office.

O documento entitulado Acelerador de Hardware para Mineração de Bitcoin com Digitação de Mensagem Otimizada e Datapath para Agendador de Mensagens descreve um método para otimizar o processo existente de mineração.

Publicidade

Publicidade

“Devido ao fato de que os software e hardware usados para mineração de Bitcoin usam bruteforce para a execução continua de funções SHA-256, o processo de mineração do ativo pode consumir muita energia e requer grandes áreas para colocação de equipamentos. Os métodos descritos nos permitem aperfeiçoar as operações de mineração de Bitcoin reduzindo o espaço usado e a energia consumida pelo equipamento de hardware”, resume o documento.

Através do “acelerador”, os engenheiros da Intel planejam reduzir o consumo de energia em 35% em comparação aos processadores tradicionais.

Além disso, nota-se que a invenção não se limita à funcionalidade de circuitos integrados especializados (ASICs). Em outras palavras, o “acelerador” pode ser usado em vários sistemas diferentes de mineração.

Publicidade

Publicidade

Vale ressaltar que anteriormente surgiram informações de que a Intel está desenvolvendo um sistema de proteção de direitos autorais baseado em Blockchain, e também recebeu uma patente para o uso de mineração em descriptografia do DNA.

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment