Inteligência americana espiona usuários de BTC

Centenas de especialistas norte-americanos nas agências de defesa e inteligência estão tentando entender como as moedas virtuais,

Publicado em 23 de dezembro de 2016 por

Centenas de especialistas norte-americanos nas agências de defesa e inteligência estão tentando entender como as moedas virtuais, como o Bitcoin, podem prejudicar a capacidade dos EUA de interromper as redes financeiras de seus inimigos e até mesmo subverter permanentemente partes do sistema financeiro global.

Juan Zarate, consultor sênior do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais e também do conselho de consultores da Coinbase disse, à uma revista semanal de notícias, que as moedas virtuais representam um desafio. É contrária aos fundamentos de transparência e responsabilização que foram construídos ao longo das últimas três décadas para combater o terrorismo, o tráfico de seres humanos, a lavagem de dinheiro e muitos outros tipos de atividades criminosas.

Publicidade

Publicidade

O FBI está hackeando os computadores dos usuários do Bitcoin?

Essas novas informações, inadvertidamente, fornecerão uma resposta à suspeita anteriormente sustentada de que algumas agências do governo dos EUA fizeram movimentos que sugerem que os usuários do Bitcoin estão sendo alvo de investigações não confirmadas.

Houve relatos de que uma Regra 41 revisada permitiria ao FBI usar um único mandado para invadir um número indefinido de computadores em qualquer lugar do mundo. A regra, que oferecerá às autoridades uma expansão do poder sobre inúmeros ativos ocultos tributáveis, como as criptomoedas, tem sido motivo de preocupação sobre a privacidade, especialmente para os Bitcoiners que usam o Tor ou seu equivalente.

Publicidade

Publicidade

O desenvolvedor do Bitcoin Core e consultor da Coinkite, Peter Todd afirmou anteriormente que o FBI quer “zero sistemas de segurança com privacidade zero” apesar do fato de que eles não são conceitos separados.

Guerra contra o terrorismo ou guerra contra moedas virtuais?

A Receita Federal Americana (IRS) também procurou obter os dados pessoais de milhões de usuários da Coinbase, que alguns especialistas disseram ter iniciado, de certa forma, o esforço para atrair moedas digitais como o Bitcoin para as massas. A IRS emitiu uma intimação para John Doe como parte da investigação.

Zarate observa que os EUA estão particularmente preocupados com o fato de terroristas e outros inimigos poderem criar uma poderosa moeda virtual que não fosse rastreável e não necessitasse do sistema bancário global, que os EUA usam, para matá-los financeiramente.

No entanto, nenhuma evidência foi encontrada para provar que os inimigos da América tentaram criar uma moeda virtual. Apesar de uma maior capacidade de acessar ferramentas para projetar um nos últimos anos, o esforço em questão é encontrar maneiras de interromper qualquer nova moeda virtual que possa surgir para tal uso criminoso.

De acordo com Joshua Baron, um criptógrafo e matemático acadêmico da RAND Corporation, um dos think tanks que trabalham com o governo dos EUA, o registro de transações publicamente visível da moeda é transparente demais para atrair terroristas, criminosos ou inimigos do Estado.

O governo quer o que sempre quis; poder de controle sobre o dinheiro do povo. Qualquer governante meia boca sabe que se perder o controle do dinheiro, além de não poder mais usufruir dos benefícios de impostos cobrados do povo, também não conseguirá se manter no poder. Pois o dinheiro, a falta dele, as crises com falta de emprego, são e sempre serão um dos sistemas mais cruéis de manter controle sobre pessoas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment