Investigador da narcóticos da Índia acusado de roubar 470 BTCs

Um investigador do Bureau de Controle de Narcóticos (BCN) da Índia foi acusado de roubar Bitcoins congelados em uma apreensão de drogas de 2015, na operação foram confiscados 470 BTCs (cerca de 571 mil dólares em preços atuais).

Publicado em 10 de abril de 2017 por

Um investigador do Bureau de Controle de Narcóticos (BCN) da Índia foi acusado de roubar Bitcoins congelados em uma apreensão de drogas de 2015, na operação foram confiscados 470 BTCs (cerca de 571 mil dólares em preços atuais).

O BCN – se fosse no Brasil, a agência seria o braço de repreensão ao tráfico de drogas e entorpecentes da  Polícia Federal – informou que um dos agentes envolvidos na apreensão de drogas de 2015, falsificou os documentos para retirar os Bitcoins congelados.

O caso é muito parecido com o do agente do DEA Carl Force que se declarou culpado de roubo de Bitcoin e extorsão do fundador da Road Ross Ulbricht durante a investigação DEA sobre o mercado virtual já extinto, a Silk Road.

O relatório local afirma que este é o primeiro caso de fraude de apropriação de fundos em Bitcoin da Índia.

O oficial acusado, Satyendra Kumar Singh, fazia parte de uma investigação que levou a apreensão de drogas psicotrópicas em meados de 2015. As drogas, basicamente proibidas; antidepressivos e estimulantes, foram enviadas para clientes que residiam nos EUA com transações presumivelmente feitas através do mercado de drogas da darknet.

Singh congelou nove contas de Bitcoin pertencentes ao traficante em junho de 2015. As contas congeladas continham um total de 470 Bitcoins, aprox. US$ 110.000 na época.

Um ano mais tarde, o BCN resolveu verificar o status dessas contas e descobriu que todas elas haviam sido esvaziadas por Singh. Com essa constatação iniciou-se uma investigação, dessa vez sobre para onde e como o dinheiro tinha ido.

Publicidade

Falando ao Times da Índia, um funcionário do ramo do crime envolvido na investigação revelou:

“Depois que o acusado recebeu uma fiança do tribunal superior de Gujarat em 2016, o BCN procurou um rerport sobre o status das contas de Bitcoin e soube que Singh havia autorizado o desbloqueio delas em julho de 2016 através de uma carta assinada e carimbada com um cabeçalho do BCN. Como nenhuma autorização desse porte havia sido dada, Singh caiu no radar e passou a ser alvo de uma investigação”.

A investigação revelou que Singh tinha conluio com um dos traficantes de drogas acusados de falsificar documentos oficiais. Com os documentos falsificados eles conseguiram a liberação dos Bitcoins congelados em uma corretora de Bitcoin que não foi nomeada. Os Bitcoins foram liberados e transferidos para outras contas antes de serem transformados em dinheiro físico.

Por seu envolvimento, Singh embolsou 50% dos 470 Bitcoins, por essa época o preço do Bitcoin estava em torno de US$ 280. Hoje, o Bitcoin está avaliado em US$ 1.200 por moeda.

Desde então, Singh foi suspenso pelo BCN e está atualmente sob prisão. Uma investigação sobre as transações de Bitcoins indevidamente utilizados e o papel de Singh no crime está em andamento.

Os governos vivem enchendo o saco sobre o Bitcoin, mas é muito mais fácil rastrear esses Bitcoins roubados do que dólares, então a desculpa de que o Bitcoin facilita o crime é conto do vigário pra manter o dinheiro da população refém dos grandes bancos. Pense nisso!

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment