Investimento em FinTech cresce bem na China

A China está a caminho de bater o seu próprio recorde atingido em 2016 de investimento na indústria FinTech, que é marcado em US$ 10 bilhões.

Publicado em 10 de março de 2017 por

A China está a caminho de bater o seu próprio recorde atingido em 2016 de investimento na indústria FinTech, que é marcado em US$ 10 bilhões.

Em um relatório da Bloomberg, a Accenture Plc disse que as áreas de investimento estão focadas principalmente em inteligência artificial, big data, blockchain, e cibersegurança. De acordo com Albert Chan, diretor de serviços financeiros da Accenture na China, mais dinheiro está previsto para entrar nos serviços de investimento, empréstimos on-line, e assessores robotizados.

Publicidade

Publicidade

Ao longo dos últimos dois anos tem havido um crescimento significativo no mercado chinês, com 2016 superando seu recorde em 2015. A análise Accenture constatou que, em 2015, o país arrecadou US $ 2,97 bilhões em ofertas de grande sucesso.

O montante de US$ 10 milhões, em parte, foi atingido por um fundo de US$ 4,5 bilhões que foi levantado pelo Alibaba Group Holding Ltd., que foi a maior rodada de capital de risco investido em FinTech da história.

Aumento FinTech na Ásia

Em um relatório de CBInsights, a Ásia representou cerca de 20% no número de investimentos Finteh em todo o mundo no ano passado. No entanto, as ofertas foram responsáveis por muito mais, com 43% do financiamento global ocorrendo na Ásia em 2016.

Acredita-se que este valor é baixo, pelo fato de que as grandes empresas chinesas estão despejando mais dinheiro no setor asiático de tecnologia financeira do que nunca.

Alguns dos pesos pesados da China, que têm contribuído para o setor incluem a Shenzhen Ping An Insurance Group, a maior entidade financeira não-estatal da China, com ativos que somam  mais de US$ 765 bilhões.

No início de 2016, a empresa levantou US$ 1,2 bilhões por meio de uma rodada da Série B do credor online Lufax. A Ping An Group também se tornou o primeiro membro chinês a participar do Consórcio R3 ano passado.

A plataforma de e-commerce, JD.com levantou US$ 1 bilhão em janeiro 2016 em outra rodada de financiamento contribuindo para uma das maiores rodadas de financiamento de investimento do mundo em startups de tecnologia financeiras do ano.

Para o fim de 2016, a empresa de investimentos chinesa multimilionária, Huiyin Group anunciou o lançamento de um fundo para Bitcoin e blockchain de US$ 20 milhões, que visa investir em Bitcoin e empresas blockchain.

Definir o crescimento da China para continuar

Mais recentemente, uma empresa com sede em Hong-Kong, a Credit China Fintech Holdings entrou em um acordo de investimento na gigante da indústria, a BitFury com US$ 30 milhões. Novos investimentos são esperados na área uma vez que sejam definidos os pontos a serem ampliados.

Chan acrescentou que o financiamento de capital de risco provavelmente continuará em 2017 para o mercado chinês.

Ele disse:

“Este ano, provavelmente veremos um investimento contínuo e significativo em FinTech na China, tanto de novos operadores no mercado quanto em instituições financeiras tradicionais”.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment