Kasikornbank ignora dólar e cria corredor baht-yuan.

O Kasikornbank, o quarto maior banco da Tailândia em ativos, desenvolveu uma plataforma de blockchain em parceria com a empresa chinesa

Publicado em 20 de dezembro de 2016 por

O Kasikornbank, o quarto maior banco da Tailândia em ativos, desenvolveu uma plataforma de blockchain em parceria com a empresa chinesa de fintech, International Business Settlement (IBS) permitindo acordos bilaterais de baht-yuan.

Conforme relatado pelo Nikkei, o sistema permitirá a liquidação direta de transferências entre baht e yuan, ou seja, entre a Tailândia e a China sem qualquer necessidade das moedas serem convertidas para USD em qualquer ponto. O USD, frequentemente visto como a moeda de referência padrão em todo o mundo, normalmente desempenha um papel durante as remessas internacionais ou assentamentos quando ligado através de um canal de compensação.

Publicidade

Publicidade

Em comunicado, o presidente da Kasikornbank, Banthoon Lamsam, disse:

“A IBS tem a tecnologia e a rede para facilitar o acesso internacional que não se baseia apenas no dólar dos EUA, numa altura em que a presença internacional do yuan está aumentando.”

Baseado em uma plataforma de blockchain desenvolvida pela IBS, o ledger é essencialmente uma alternativa ao sistema de liquidação SWIFT globalmente adotado. De acordo com a empresa chinesa de fintech, a sua plataforma blockchain será mais rápida, mais barata e mais segura, em comparação com a rede SWIFT.

Publicidade

Publicidade

A nova plataforma de liquidação baseada em blockchain vem num momento em que o corredor de comércio entre os dois países está tendo alguns de seus maiores volumes. A China é agora o maior parceiro comercial da Tailândia, ultrapassando em muito o Japão e os Estados Unidos. A China é também a segunda maior fonte de importações da Tailândia, com o comércio anual entre os dois países girando em torno de 2,3 bilhões de baht (aproximadamente US$ 64 milhões). Os turistas chineses também somam 20% de toda a renda de turistas na Tailândia. Basta dizer, que o corredor baht-yuan certamente beneficiará muito o impulso dado às fintechs e à tecnologia blockchain.

Enquanto isso, o corredor de pagamentos China-EUA também está recebendo um facelift, como resultado da plataforma baseada em blockchain Wyre, com sede em San Francisco, que arrecadou US$ 5,8 milhões em uma recente rodada de Série A de investimentos. Se for comparada com um sistema de remessas tradicional, que leva de 1-3 dias para enviar/receber dinheiro, a Wyre promete transferências entre os dois países, tanto em yuan quanto em USD, em menos de 6 horas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment