Liberstad uma cidade libertaria que planeja usar o Bitcoin

Um projeto na parte rural da Noruega, Liberstad, visa a criação de uma cidade privada, livre de impostos para os libertários que respeitam o princípio de não-agressão e direitos de propriedade privada.

Publicado em 20 de março de 2017 por

Um projeto na parte rural da Noruega, Liberstad, visa a criação de uma cidade privada, livre de impostos para os libertários que respeitam o princípio de não-agressão e direitos de propriedade privada.

Atualmente com uma pré-venda, os organizadores do projeto aceitam Bitcoin na compra da terra e tem planos de torna-lo a moeda local. John Holmesland, gerente geral da empresa que opera a Liberstad, explica o projeto.

Publicidade

Publicidade

Encontrando e Desenvolvimento Liberstad

Holmesland e sua equipe começaram a procurar propriedades para a Liberstad em agosto de 2015 e encontraram a Tjelland Farm com o “tamanho, localização, internet, eletricidade, abastecimento de água, terra boa, espaço para construção, e sem vizinhos próximos”. Perfeita na concepção dele.

Um acordo foi feito para alugar esta propriedade até 19 de Maio, para dar-lhes tempo para vender pelo menos 15 hectares de terrenos, em seguida, comprar o imóvel por cinco milhões de coroas norueguesas. Na pré-venda, que começou em 15 de agosto do ano passado, Holmesland disse:

“Nós só aceitamos coroas norueguesas (NOK) e Bitcoin (BTC) para as terras vendidas através da pré-venda”.

Cada lote de 1000m2 custa 35.000 NOK (cerca de 4.000 dólares), e o preço de reserva é de 7.000 NOK (aprox. 800 USD). Se o objetivo for alcançado, o desenvolvimento começará em 1º de junho, depois do rezoneamento e aprovação do governo sobre o plano de desenvolvimento.

Holmesland estima que o pleno desenvolvimento seria atingido dentro de 24 a 36 meses. Durante esse tempo, a equipe planeja construir estradas, parques de camping e áreas de concerto para os proprietários utilizarem gratuitamente.

Criação de uma Cidade Privada

Inicialmente, a equipe tem como objetivo “criar uma cidade totalmente privada, onde toda a terra é propriedade privada, e todos os serviços públicos são prestados por agentes privados de forma voluntária”, Holmesland compartilha, acrescentando que:

“Nosso objetivo geral é, um dia, fazer de Liberstad uma cidade-estado autónoma com a sua própria economia, bem como Hong Kong, Singapura ou mesmo Monaco, mas sem política, impostos e políticos”.

Em Liberstad, serviços básicos da cidade tais como creches, escolas, hospitais, lares de idosos, serviço de segurança privada, coleta de lixo, cortes arbitrários e companhias de seguros serão fornecidos “no mercado interno ou através de organizações voluntárias, todos livres de qualquer imposto, força ou coerção”, ele descreveu.

Houveram mais de 500 perguntas e pelo menos 120 pessoas aderiram a proposta, desde que Holmesland revelou que, deste grupo, 63 pessoas pagaram o depósito até agora. Ele ainda fala de mais detalhada:

“Existem hoje 63 pessoas que reservaram um total de 10,5 hectares de terra em Liberstad. São pessoas que pagaram o depósito de segurança e assinaram o acordo de compra. Ainda faltam vender 4,5 hectares do total que precisamos para podermos prosseguir com a compra da propriedade principal”.

Abrindo um negócio em Liberstad

Os residentes de Liberstad podem tornar-se membros do ‘mercado interno’ através do Registro de negócios de Liberstad (LIMBR), que é “um mercado fechado exclusivo para os residentes”, descreve Holmesland. Os moradores podem usar “qualquer meio de troca que eles queiram, exceto as moedas nacionais”, ele elaborou, observando que:

“O Registro de negócio é livre em Liberstads para todos os moradores, o único requisito é que eles não podem aceitar moedas nacionais. Se você quiser aceitar coroas norueguesas você vai ter de se registar um segundo negócio com o governo norueguês”.

As empresas que querem aceitar coroas norueguesas têm que “seguir a lei e os regulamentos da Noruega e pagar taxas e IVA”, Holmesland explicou, acrescentando que eles também podem ter de se registar com o libertário residente na Cidade de Liberstad na Noruega, usar Bitcoin como registro de negócios primário em criptomoedas. Uma empresa pode ter duas inscrições, uma com o governo norueguês para aceitar coroas norueguesas e o outro com LIMBR a aceitar qualquer outra coisa.

A equipe da Liberstad estabeleceu uma corporação sem fins lucrativos norueguesa, registrada sob o nome de Liberstad Deriva AS, que é operador de Liberstad, para proporcionar e facilitar os serviços públicos da cidade. A Liberstad Deriva AS pode aceitar tanto NOK quanto Bitcoin. O IVA e outros impostos que o Estado requer serão adicionadas a todas as transações feitas em coroas.

Promover o Bitcoin

“Usamos a Bitpay para todas as nossas transações em Bitcoin. Nós também aconselhamos todas as outras empresas em Liberstad a fazerem o mesmo”, disse Holmesland. Além disso, Liberstad planeja dar descontos aos clientes que pagam em Bitcoin para todos os seus serviços, uma vez Liberstad esteja instalada e funcionando, isso incentivará as pessoas a começarem a usar Bitcoin, explicou, acrescentando que:

“Somos grandes defensores de qualquer tipo de dinheiro de livre mercado como o Bitcoin, tanto quanto nós podemos. Nós acreditamos que o Bitcoin é um dos melhores, se não o melhor, a moeda de livre mercado mundial no momento”.

A Cidade de Liberstad na Noruega tem planos de usar o bitcoin como sua moeda primaria no futuro, isso inclui educar e ensinar as pessoas sobre a economia e benéficos de mercados com dinheiro livre.

“Nós também planejamos usar a tecnologia blockchain como um sistema de registo de contratos, títulos de propriedade, identidade e muito mais”, revelou. Além disso, a equipe contempla estabelecer a sua própria moeda local para o mercado interno, que será apoiado ou amarrado ao Bitcoin, de modo que transações sejam mais rápidas e mais baratas.

Relacionamento com o Governo norueguês

O governo do município de Marnardal é responsável pelo rezoneamento e impostos sobre a propriedade e os serviços municipais, onde Liberstad está localizada. “Começamos o nosso diálogo com os libertários da cidade de Liber”.

“Começamos nosso dialogo com o governo local antes de assinarmos o contrato de compra e eles foram bem positivos quanto à nossos planos, como um projeto para aumentar o crescimento populacional na área e atividades na municipalidade,” disse Holmesland. Entretanto, eles não entraram em diálogo com o governo nacional sobre Liberstad.

De acordo com Holmesland, “a municipalidade de Marnardal atualmente não aplica impostos de propriedade” e “não existem taxas ou impostos para ser proprietário de terras em Liberstad”. Por mais que isso não seja garanti a de sucesso, o time planeja trabalhar com o governo local para garantir que não sejam adicionadas taxas no futuro.

Outros projetos libertários

Dois outros projetos de loteamento libertário também propõem o uso de Bitcoin como sua moeda primária. O assentamento mais famoso é o Liberland, um país inteiro sendo desenvolvido em uma pequena porçao de terra entre a Croácia e a República Checa.

Outro menos conhecido é o Projeto Fort Galt em Valdivia, no Chile. Os idealizadores já conseguiram comprar o terreno, e este projeto é muito mais aproximado de Liberstad em conceito.

Lá oferecem-se vagas de emprego, casas de veraneio e residências permanentes para os amantes da liberdade. Enquanto a Liberland está tendo problemas com os governos locais não reconhecendo sua soberania, Liberstad e Fort Galt trabalham sem problemas com os governos existentes para criar um sonho de liberdade.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment