Os desenvolvedores agora podem testar uma versão precoce da muito esperada Rede Lightning para Bitcoin. Os testes serão off-chain .

Os desenvolvedores agora podem testar uma versão precoce da muito esperada Rede Lightning para Bitcoin.

Lançado por uma das startups trabalhando no protocolo de micropagamentos, o Lightning Labs, o daemon é executado no testnet bitcoin, mas não é exatamente para usuários comuns. Em vez disso, é para os desenvolvedores obterem dados testando as transações off-chain (e parece que alguns já começaram).

Em declarações, a equipe classificou o lançamento como a implementação mais “completa” da Lightning Network, uma vez que reúne os requisitos completos de uma rede off-chain, incluindo a capacidade de abertura e fechamento de canais e de pagamentos para encontrar um caminho através da rede.

A co-fundadora da Lightning Labs, Elizabeth Stark, disse:

“O que o nosso lançamento faz pelo o mundo é que ele fala ‘Hey, este é um pacote de recursos’ para incentivar as pessoas a contribuir.”

O co-fundador do Lightning, Joseph Poon, acrescentou que a ideia é ajudar os desenvolvedores a se prepararem para o lançamento do Lightning na blockchain do Bitcoin ao vivo e facilitar a integração das empresas.

Em geral, a equipe parecia ansiosa para dar aos desenvolvedores interessados mais orientação.

“Esperamos que, no futuro, eles possam contribuir, mas também testar, já que está muito aberto”, disse o desenvolvedor Olaoluwa Osuntokun.

Ele mencionou que na quinta-feira, que o Lightning Labs também estará lançando um post-walk-through junto com uma “faucet” que lançará moedas de teste que os desenvolvedores poderão usar nas transações.

A Bitfury, a Blockchain Lab, a Chaincode Labs e a MIT DCI também contribuíram para o lançamento.

Para quem quiser saber mais, os recursos do daemon são aqueles descritos nos padrões em andamento, que relatam cada um dos oito projetos que o Lightning precisa suportar para interoperar.

Agora, os desenvolvedores precisam executar um nó bitcoin para testar o daemon, mas um Lite-client menos intensivo em recursos, compatível com Lightning está funcionando.

Ostuntkun mencionou que ele provavelmente será recheado com algumas outras ferramentas, como uma interface de usuário.

Obstáculo a vista

Tudo o que disse, pode não ser o marco que a comunidade está procurando agora.

A versão não é compatível com a base de código do Bitcoin existente (uma vez que depende de um upgrade multifacetado conhecido como SegWit), o que tornará os canais off-chain mais seguros (bem como outros benefícios a longo prazo como scripts mais avançados, como Poon enfatizou).

Enquanto a maioria na comunidade Bitcoin diz que o código será um impulso global, esse pensamento tem sido um pouco controverso, e apenas cerca de 25% dos 95% necessários dos mineiros têm sinalizado apoio para a mudança desde novembro.

“Nós construímos este lançamento com a expectativa de que o SegWit se ative, e eu acho que se você olhar para histórias passadas de quando outros soft forks se ativaram, vemos que às vezes só é necessário aguardar. Só porque o número é estável agora, não significa que não podemos atingir a quantidade necessária”, disse Stark.

Ela observou que a proposta não expira até 15 de novembro deste ano.

No entanto, Poon e Osuntokun enfatizaram que uma versão da Lightning Network, embora limitada e menos amigável, é possível com o SegWit.

Poon concluiu:

“Estamos prontos de qualquer maneira.”

Provavelmente eles estão bem prontos, mas o mesmo não se diz da blockchain do Bitcoin. Um fork de programação é meio tenso, o maior problema dele é que se não der certo por algum motivo não tem como tirar ele de lá. É um passo sem volta e lógico que a comunidade esta receosa afinal, passos como esse são complicados.

É fato que a blockchain precisa de um upgrade, mas ele não precisa ser necessariamente financeiro, pode ser de software. As pessoas têm que ter muito cuidado para não transformar a blockchain do Bitcoin em tão somente mais uma.