Mainframe – comunicação com controle descentralizado

Mesmo que as plataformas de mídia de massa que usamos hoje em dia sejam mais descentralizadas do que as de antes, é possível observar que a maioria dos serviços atuais da Web é projetada sobre protocolos, serviços e outras ferramentas suscetíveis a controle, vigilância e manipulação centralizados.

Publicado em 16 de outubro de 2018 por

Mesmo que as plataformas de mídia de massa que usamos hoje em dia sejam mais descentralizadas do que as de antes, é possível observar que a maioria dos serviços atuais da Web é projetada sobre protocolos, serviços e outras ferramentas suscetíveis a controle, vigilância e manipulação centralizados.

Nesse sentido, a Mainframe surge como uma alternativa. A nova camada de comunicações não é apenas totalmente descentralizada, mas também usa um modelo operacional orientado por incentivos. Como consequência de sua arquitetura própria, a Mainframe ajuda a ativar recursos como?

  • Roteamento confiável de pacotes
  • Entrega segura de pacotes
  • Exploração de pacotes
  • Armazenamento de arquivo

Ademais, a arquitetura de segurança implementada por esse serviço não oferece apenas um modelo de criptografia realmente útil, mas também oferece um grau elevado de resistência à censura e à vigilância.

Já do ponto de vista técnico, a plataforma se traduz em várias camadas de protocolo e transporte que recebem incentivos de economias simbólicas, juntamente com kits de desenvolvimento de software (SDKs) que dão autonomia para que a plataforma se integre de maneira fácil a uma gama variada de idiomas populares, sistemas operacionais e dispositivos periféricos.

Desse modo, o Mainframe garante trocas de token sem interrupções e fornece um elevado nível de interoperabilidade com vários blockchains populares.

Visão geral do serviço

A estrutura principal do mainframe contempla uma rede peer-to-peer baseada no Kademlia, que é usada para propagar e executar transações blockchain.

A plataforma exclui a camada de transporte da Internet subjacente e rastreável geograficamente na qual se baseia a maioria dos serviços, atribuindo aleatoriamente endereços a cada ponto ou nó.

O Mainframe permite uma troca contínua de valor monetário entre dois ou mais nós dentro da rede.

Ademais, ela utilizada uma moeda nativa, para facilitar as transações internas. Também vem com uma série de protocolos especialmente adaptados sobre a camada central de transporte, de modo a permitir e facilitar a comunicação segura.

Características principais

Inicialmente, cada um dos nós dentro do ecossistema Mainframe expõe várias interfaces de serviços P2P para as camadas de aplicativos chamarem. Isso inclui interfaces para transações de blockchain, armazenamento de arquivos e serviços de dados.

Vale ressaltar ainda que cada um desses serviços P2P individuais é fornecido em sua integridade por pares que operam em cooperação, sem a necessidade de qualquer intermediário ou infra-estrutura de gerenciamento centralizado.

Diagrama conceitual de um nó dentro do ecossistema Mainframe

Do ponto de vista da segurança, o Mainframe fornece protocolos para criptografia um-para-um e um-para-muitos. O que quer dizer, basicamente, que cada nó dentro do ecossistema mainframe tem um par de chaves assimétricas associado a ele. Essa chave destina-se a descriptografar pacotes destinados a esse nó específico.

A criptografia de pacotes é um dos principais aspectos dos protocolos de transporte do Mainframe e, para fazer uso do sistema, essa etapa não pode ser contornada.

Como tudo funciona

Como já dito antes, o Mainframe manipula um modelo de governança fundado sob o conceito de incentivo. Este modelo é usado para incentivar vários serviços importantes fornecidos por nós na rede, incluindo:

Encaminhamento de Pacotes Incentivados: neste serviço, os nós pares entram em um acordo para fornecer serviços uns aos outros. Isso é feito mantendo-se as guias próximas da largura de banda usada por cada nó individualmente – principalmente através do uso do protocolo SWAP.

Entrega de Pacotes Incentivada: o mainframe incentiva a entrega de pacotes através de muitos saltos peer-to-peer diferentes dentro da rede, através de entrega criptograficamente certificada.

Hospedagem de pacotes incentivada: mesmo no caso de alguns nós serem desconectados da rede primária, o Mainframe é capaz de oferecer operacionalidade regular, porque a infraestrutura nativa é inteiramente baseada em serviços fornecidos por nós na rede ponto a ponto.

Armazenamento de arquivos incentivados: a camada de armazenamento de arquivos com incentivo do Mainframe usa os estágios de “juro e fraude” da provisão de serviços (além do estágio de SWAP usado no roteamento de pacotes). Os nós de armazenamento são incentivados ao ganhar tokens quando pedaços de arquivos são solicitados por outros nós.

Serviços de Dados Incentivados: embora o armazenamento de arquivos suporte muitos casos de uso, para funções da vida real, pode ser bastante ineficiente ter que carregar e salvar um arquivo grande sempre que pequenas alterações forem feitas nele. Para esses tipos de casos de uso, o Mainframe fornece serviços de banco de dados incentivados.

Token Mainframe (MFT)

Desde de que começou a ser comercializado no mercado em abril deste ano o token MFT não trilhou um caminho tão positivo. Em seu melhor momento atingido em maio deste ano a criptomoeda chegou a ser negociada por US$ 0,02526. Desde então assumiu uma trajetória majoritariamente de baixa, apesar de alguns movimentos de alta.

De seu melhor momento até o momento dessa redação, quando de acordo com o CoinMarketCap o MTF estava cotado em US$ 0,009532, a queda chega ao patamar de mais de 62%.

De acordo com o CoinMarketCap, de um total de 10 bilhões de tokens cunhados estão em circulação no mercado 2.163.83.3975. O MFT pode ser negociado sobretudo pela Binance, Bittrex e Upbit. Mas é possível conferir uma lista mais completa a respeito das exchanges clicando no link.

Para conhecer mais sobre o Mainframe acesse o site.

Ou junte-se ao grupo Mainframe no telegram.

          

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment