Microsoft Office pode fazer verificação de dados na blockchain do Bitcoin

Publicado em 13 de abril de 2017 por

A Microsoft continua a sua viagem Blockchain integrando o Stampery ao Microsoft Office Outlook com compatibilidade cruzada.

Documentos verificados na blockchain do Bitcoin ou Ethereum

O Stampery fornece verificação de documentos contra as blockchains do Bitcoin ou Ethereum, e será acessível para verificar e-mails sem que os usuários deixem o próprio Outlook.

Publicidade

Publicidade

“Stampery fornece esta funcionalidade hoje, criando hashes de documentos enviados através da web e esses hashes são armazenados nas blockchains públicas do Ethereum ou do Bitcoin. Para habilitar esse recurso, o Stampery fornece uma API RESTful que é acessível a partir de aplicativos”, explica uma versão dedicada sobre a integração da Microsoft.

“Neste projeto, alavancamos essa API segura para criar um complemento conveniente para o Microsoft Outlook que funciona como um recurso quase nativo para carimbar/certificar um e-mail sem deixar o Outlook ou mesmo o e-mail específico que você está visualizando”.

Confiança na rede

A Microsoft acrescenta que, embora já existam várias soluções para certificação de documentos online, elas envolvem o armazenamento de assinaturas por meio de uma entidade centralizada, diminuindo assim a segurança.

Publicidade

Publicidade

“Uma alternativa para depender de uma única entidade (comercial, pública, governamental, etc.) para manter essa prova de identidade segura é criar um hash do documento e enviar esse hash para uma blockchain publicamente acessível, como a do Bitcoin”, a declaração continua.

“Uma vez que os dados do hash estão presentes na blockchain pública, o documento não pode ser alterado sem invalidar o hash. Essa abordagem garante a privacidade do documento e a disponibilidade dos dados para fins de validação futura”.

A solução é compatível com os produtos do Office. “Em um sentido mais geral, qualquer um que quer certificar e verificar todo o recurso digital poderia reusar e construir em cima deste conhecimento, a Microsoft adiciona, anotando o código para a execução de fonte aberta e disponível no GitHub.

Microsoft e a UASF

O movimento vem como uma fonte que alega que a Microsoft “por padrão” suporta um soft-fork ativado pelo usuário (UASF) na rede Bitcoin.

Em um tweet na terça-feira, Daniel Buchner, diretor de identidade descentralizada da corporação, disse que tal sinalização ocorreria em “todos os nós e clientes completos (Bitcoin) usados nas implementações descentralizadas de código aberto da Microsoft”.

Questionado se isso significaria seguir uma cadeia minoritária, Buchner disse em uma resposta que seria “qualquer versão da cadeia (é um sistema de cadeia cruzada) que melhor preserva/melhora o estado descentralizado de IDs enraizados nele”.

Opinião

Eu não sei se eu estou ficando doida, se de repente perdi todo o meu sentido de logica ou o que, mas querer dar a pessoas que simplesmente usam o Windows o direito de decidir o futuro da blockchain do Bitcoin me parece a coisa mais insana e insensata que eu já li. Esse poder não deveria ser dado a pessoas que não sabem nada sobre a Primeira criptomoeda.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment