Mineradores descobrem como ganhar criptomoedas com ajuda de publicidade no YouTube

Publicado em 29 de Janeiro de 2018 por

De acordo com o especialista independente em segurança cibernética, Troy Marsh, recentemente, mineradores começaram a integrar ativamente códigos em propagandas no YouTube através da plataforma DoubleClick do Google. Isso foi relatado pela Ars Technica.

Como observa o especialista, os anúncios da plataforma DoubleClick contêm códigos escritos em JavaScript, o que permite que criadores de anúncios minerem Monero através do serviço Coinhive.

“Obviamente, o objetivo foi o serviço de hospedagem de vídeosdo YouTube, já que os usuários costumam gastar muito tempo neles”, observa Marsh. “Este é o principal objetivo do software malicioso de mineração, e quanto mais tempo os usuários mineram a criptomoeda, mais dinheiro é ganho”.

De acordo com a Gizmodo, muitos usuários recentemente começaram a notar a carga da CPU até 80% ou mais ao assistir a um vídeo no YouTube. Na maioria das vezes, esses anúncios são transmitidos para residentes do Japão, França, Taiwan, Itália e Espanha.

Logo após as redes sociais espalharem mensagens sobre o  software malicioso no código dos anúncios no YouTube, representantes da Google disseram que o problema foi resolvido dentro de duas horas. No entanto, os especialistas da TrendMicro observam que o problema ainda é relevante.

Lembramos que anteriormente, o BTCSoul informou que um bloqueador de mineradoras ocultas NoCoin foi adicionado na nova versão do navegador Opera.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment