Novo estudo questiona descentralização de 85% dos projetos de criptomonetários

Publicado em 22 de outubro de 2018 por

A equipe de pesquisadores da CryptoCompare chegou à conclusão de que desenvolvedores de 85% dos projetos criptomonetários têm a capacidade de fazer alterações nos protocolos a seu critério.

No relatório Cryptoasset Taxonomy Report, publicado esta semana, centenas de ativos criptomonetários foram analisados e um “termômetro de descentralização” foi usado para compilar a classificação apropriada. Essa ferramenta apontou para a tendência de centralização de ativos, liderada por tokens de utilidade executados em servidores monitorados.

Novo estudo questiona descentralização de 85% dos projetos de criptomonetários. BTCSoul.com

Segundo os pesquisadores, 55% dos ativos existentes podem ser chamados de totalmente centralizados, enquanto que 30% deles são parcialmente centralizados. Apenas 16% dos projetos criptomonetários pode ser classificado como completamente decentralizado.

É possível que os números finais da CryptoCompare contenham um pequeno erro, uma vez que quando somados, a soma acumulada fica em 101%.

Os tokens usados como método de pagamento eram chamados de menos centralizados: 41% deles eram centralizados, outros 22% eram centralizados até certo ponto.

Também foi realizada uma classificação dos ativos criptomonetários em relação à presença de características de valores mobiliários. Para isso, os analistas usaram as recomendações da Autoridade de Supervisão do Mercado Financeiro da Suíça (FINMA).

De acordo com esses critérios, o Bitcoin “quase certamente não é um valor mobiliário devido à ausência de uma única contraparte com a qual os detentores do ativo poderiam associar as expectativas de obtenção de lucros”. A mesma avaliação foi dada em relação à segunda maior criptomoeda em termos da capitalização: o Ethereum.

Ambos os projetos oram chamados de descentralizados e são baseados em princípios de código aberto. No entanto, sua participação no número total é de apenas 16%.

Em contraste, projetos centralizados geralmente dependem de um determinado emissor central. De acordo com a CryptoCompare, 55% dos ativos públicos criptomonetários são centralizados e, portanto, se enquadram na definição de um valor mobiliário, arriscando-se a chamar a atenção da Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment