O capítulo Mastercard: criptomoedas, lixo cheio

O sistema de pagamento internacional Mastercard apresentará a tecnologia do registro de transações B2B distribuído, que ajudará instituições financeiras e empresas a aumentar a velocidade e transparência dos pagamentos internacionais, bem como a reduzir seus custos.

Publicado em 11 de outubro de 2017 por

Ajay Banga, CEO da Mastercard, disse que sua empresa está pronta para se adaptar às moedas criptográficas, mas apenas se as mesmas forem emitidas pelo Estado. Até agora, ele considera as moedas digitais um lixo, segundo afirmou em entrevista ao The Economic Times.

“Se o governo criar uma moeda digital, encontraremos uma maneira de nos adaptar. Vamos fornecer soluções para a transferência de moedas do cliente ao vendedor. Moedas nacionais digitais são suportadas pelo Estado – é uma criptomoeda interessante, mas as transações não estatais são um lixo completo”, disse Ajay Banga.

Publicidade

Publicidade

Como desvantagens das moedas criptográficas, ele apontou a alta volatilidade e sua popularidade entre hackers.

“Hoje, certa quantia em Bitcoins é suficiente para eu comprar uma garrafa de água, amanhã duas e depois de amanhã, 9.000. O dinheiro não funciona assim. Qualquer moeda precisa de estabilidade e transparência, caso contrário, todo o mundo do crime começará a usá-la. Por que os hackers preferem resgate em Bitcoins? Por que a China está colocando tanta pressão no mercado das moedas criptográficas?”, pergunta Banga.

Opinião

Eu não sei o que ele pensa como respostas a essas perguntas, mas se quiser ouvir a verdade, deve saber que a China quer se livrar das moedas criptográficas, pois ao permitir o uso delas pelos cidadãos, perderá a mão de obra barata que vendeu às grandes indústrias que se instalaram lá.

Publicidade

Publicidade

Hackers preferem o Bitcoin porque é muito mais fácil transferir dinheiro em uma Blockchain que em um banco – não que o segundo seja honesto. Eles são tainhas navegando nesse mar cinza ao lado dos grandes tubarões bancários.

Acho seguro dizer que o sistema bancário tradicional tem medo de que as transferências feitas em criptomoedas quebrem seu negócio, pois o risco é grande de perderem suas vantagens diante da grande transformação econômica que o Bitcoin e as criptomoedas propõem. Quanto aos governos em geral, são – em escalas diferentes – similares ao governo da China, que veem na população nada mais que uma grande massa à qual oprimem com exaustivos impostos que, nem de longe, retornam completamente em forma de serviços, tal como alegam.

Lembre-se de que, no início de agosto, a Mastercard apresentou um novo pedido de patente para o desenvolvimento de um serviço que permite o retorno de fundos em criptomoedas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment