OEL Foundation

O setor de transporte e logística, segundo o Banco Mundial (2016), é responsável por cerca de 13% do PIB mundial. No Brasil, por exemplo, os custos de transporte e logística, incluindo armazenagem, serviços admirativos, estoque e outros, consumiram, apenas em 2015, cerca de 12,7% do PIB, ficando próximo do patamar de R$750 bilhões.

Publicado em 22 de julho de 2018 por

O setor de logística na área de transportes passou por uma fase de estagnação em 2017. Claro, houveram motivos para isso: no Brasil, por exemplo, o desfavorável e conturbado momento pelo qual passou a economia foi um agravante. Mesmo nesse contexto, contudo, as expectativas para o ano de 2018 eram animadoras, no entanto, o ano veio e as oportunidades no setor não tiveram muito espaço. 

Por quê? No momento, existem poucas fundações que prezam pelo bem-estar da indústria de transportes (em sua maioria, é apenas com os lucros que essas instituições se preocupam). Faltam recursos, boas condições de trabalho e, principalmente, um retorno justo.

Visando esse carente mercado, o grupo OpenPort (plataforma de logística digital) decidiu entrar em ação e resolveu criar uma fundação sem fins lucrativos: a OEL Foundation, cuja plataforma focará em prover segurança, desenvolvimento e colaboração de código aberto para arquitetura empresarial.

O fundador e CEO da OpenPort, Max Ward, disse em nota que a OpenPort fornecerá total suporte à OEL, partindo do setor administrativo ao marketing, e disse mais:

“O lançamento da Fundação OEL representa um significativo marco em nossa jornada para estar na vanguarda do espaço logístico movido à Blockchain. Ao fornecer uma plataforma neutra para o desenvolvimento de um protocolo de Blockchain liderado pela comunidade, a Fundação OEL apoia um dever compartilhado entre seus membros e visa fomentar um espírito de colaboração e inovação na indústria da cadeia de suprimentos”.

Vantagens

A plataforma OEL acredita que pode fazer a diferença no mercado e conta com alguns pontos-chave para ser referência no mercado. Os principais deles são:

  • Custos mais baixos e velocidade de transação alta e estável para escalabilidade;
  • Segurança de dados de alto nível para aplicativos;
  • Recompensa por compartilhamento de dados;
  • Governança colaborativa para atender aos mais variados padrões dos usuários.

Informações sobre o token e ICO

O ticker do token OEL será OPN e ele terá importante papel para a plataforma, pois será utilizado para “abastecer” contratos inteligentes e fornecerá um novo modo de movimentar bens e fazer pagamentos através “cadeia de suprimentos”, tudo com transparência e liquidez.

A startup fará dois Eventos de Geração de Tokens (TGE), sendo que o primeiro deles ocorrerá no terceiro trimestre de 2018 e será para o público. Os tokens OPN serão compatíveis com o padrão ERC-20 e terão valor de US$0,5 por unidade. O Soft cap foi fixado em US$4 milhões, enquanto para o Hard cap, o valor estabelecido foi de US$15 milhões.

Ficou interessado no projeto OEL? Visite o site oficial ou as redes sociais do projeto:

Telegram | Linkedin | Twitter | Facebook | Reddit

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment