Parity Technologies apresenta mecanismo para identificar investidores de ICOs

O chefe do departamento de comunicações técnicas da Parity Technologies, disse que a empresa não exigirá um hardfork de emergência da rede Ethereum para desbloquear fundos em carteiras de assinatura múltipla,

Publicado em 6 de novembro de 2017 por

Desenvolvedores da Parity Technologies apresentaram o procedimento KYC com base na conclusão de um contrato inteligente na Blockchain Ethereum vinculando a pessoa “confirmada” a um único endereço Ethereum. Isto foi indicado no site oficial do PICOPS (Parity ICO Passport Service).

Conforme observado na mensagem, o link de um endereço específico para a identidade do usuário é um pré-requisito para melhorar a eficácia da organização das ICOs e melhorar a segurança. Este procedimento envolve uma série de restrições aos usuários.

Publicidade

Publicidade

Para concluir este contrato inteligente, o usuário deve fornecer um passaporte válido ou cartão de identificação, não deve ser cidadão dos EUA ou pessoa sujeita às sanções de qualquer país. Além disso, não deve estar vinculado a outro endereço Ethereum. No entanto, se forem impostas sanções contra o usuário após registrar o endereço, isso não afetará, de forma alguma, a execução do contrato.

O contrato inteligente original está escrito no idioma da Solidity e hospedado no bloco usando a máquina virtual Ethereum (EVM). O contrato especifica dois endereços: o do proprietário e o do delegado. O primeiro, é uma chave de segurança de nível superior, que possui direitos de propriedade e completos sobre o contrato. Ele é usado apenas para restaurar o acesso à carteira. O último delegado é uma conta segura na qual as transações podem ser assinadas pelo Verificação Signaling Relay.

A Verificação Signaling Relay é um módulo de software especial que é executado em um servidor de firewall seguro sem conexão de entrada, mantendo o protocolo de rede SSH na rede privada. Este servidor só pode receber informações através de mensagens seguras da Redis pubsub. Depois de confirmar a identidade do titular do endereço, a transação recebe aprovação e é introduzida no bloco Ethereum através do servidor proxy.

Anteriormente, o diretor do Laboratório de Mídia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Joy Ito, disse que as startups que conduzem Crowdsales devem pensar se seu projeto traz benefícios à sociedade e, de qualquer forma, prevenir o enriquecimento ilegal em tokens liberados.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment