Na sexta-feira, dia 30 de março, o preço da Primeira Moeda ficou abaixo dos US$7 mil, aproximando-se das baixas fixadas no início de fevereiro deste ano.

Nesta quarta-feira, 1 de agosto, o preço do Bitcoin continuou o declínio que começou na segunda-feira e a partir das 05:30 UTC, caiu para menos de US$7,5 mil em algumas corretoras. A última vez em que o ativo esteve perto destas marcas foi há mais de uma semana, ainda em 22 de julho.

Na Bitstamp, por exemplo, o Bitcoin caiu para US$7.451, e na Bitfinex, para US$7.469.

Preço do Bitcoin cai para menos de US$7,5 mil. BTCSoul.com

Durante o último dia, o preço do BTC caiu cerca de 7,5%. Já o valor de queda semanal ultrapassou 9%, enquanto a capitalização do mercado no momento da redação era de US$129,3 bilhões.

Várias fontes sugerem que o sentimento pessimista no mercado está sendo causado pelas últimas notícias da Coréia do Sul: autoridades do país estão considerando a possibilidade de suspender os incentivos fiscais para corretoras de criptomoedas.

Essas mesmas autoridades recentemente expressaram preocupação de que parte dos ativos digitais seja empregada na lavagem de dinheiro e demais atividades criminosas – isso ocorreu num contexto de aumento no volume de transações com Bitcoins e outras criptomoedas no país.

Em geral, nos últimos dois dias, o mercado também tem sido dominado pelo sentimento de baixa: a grande maioria das moedas está na parte bem baixa da zona vermelha e suas perdas em termos percentuais são, em muitos casos, medidas em dois dígitos.

Preço do Bitcoin cai para menos de US$7,5 mil. BTCSoul.com

O Ethereum, por exemplo, está atualmente sendo negociado em cerca de US$415, enquanto o preço do EOS caiu para US$7,20 e o do Cardano perdeu quase 20%, caindo para US$0,137.

É notável também que o maior volume de negociação nas últimas 24 horas foi mostrado pela OKEx, que “expulsou” a Binance do primeiro lugar.