O perigo do hard fork, ou seja, a divisão da blockchain em pelo menos duas, há algum tempo, parecia, haver sido reduzida ao mínimo. No entanto, nos últimos dias, esta questão voltou a ser fundamental para a agenda da comunidade Bitcoin. O que aconteceu e por que esse hard fork voltou a ameaçar a rede do Bitcoin de forma tão agressiva?

O perigo do hard fork, ou seja, a divisão da blockchain em pelo menos duas, há algum tempo, parecia, haver sido reduzida ao mínimo. No entanto, nos últimos dias, esta questão voltou a ser fundamental para a agenda da comunidade Bitcoin. O que aconteceu e por que esse hard fork voltou a ameaçar a rede do Bitcoin de forma tão agressiva?

Por que a probabilidade de hard fork tinha reduzido?

Para explicar isso, é necessário lembrar como os eventos se desenvolveram no que diz respeito à escala do Bitcoin nos últimos meses.

A melhoria principal, que uma grande parte da comunidade insistiu durante longo período de tempo, foi o protocolo “Testemunha Segregada”, ou SegWit. No entanto, sua ativação exigia o suporte de pelo menos 95% dos mineiros.

Guiados por seus interesses econômicos, nem todos concordaram em apoiar a proposta. Em algum momento, o confronto de vários segmentos esteve num impasse, cuja saída parecia ser a proposta do SegWit2x. A solução consiste em duas partes: a primeira fornece ativação do SegWit, a segunda – o aumento no tamanho do bloco até 2Mb.

No entanto, essa opção também enfrentou certas dificuldades: o descontentamento da comunidade foi causado pelo fato de que esta proposta acertada a portas fechadas por um grupo de mineiros e empresas.

A resposta foi à oferta o UASF – soft fork ativado pelo usuário. Essa solução também assume a ativação do SegWit, mas à custa dos detentores de nós (nodes), privando assim os mineiros da vantagem econômica.

A ativação da UASF deve ocorrer em 1º de agosto de 2017, mas também traz a ameaça de hard fork. Este havia sido evitado com a ajuda de outra solução, a BIP 91, que provou ser compatível com SegWit2x e UASF. A sua ativação ocorreu no dia 22 de julho, após o que foram abertas todas as formas de implementação do SegWit.

Então, por que eles começaram a falar de hard fork novamente?

No decorrer de todos esses eventos, um grupo de representantes da indústria (principalmente mineiros chineses que insistem em aumentar o tamanho do bloco) anunciou sua intenção de lançar um cliente separado chamado BitcoinABC.

Inicialmente, assumiu-se que se tornaria um tipo de seguro caso a segunda parte do SegWit2x não fosse implementada. O client dessa solução recebeu uma moeda separada chamada Bitcoin Cash (BCC).

No entanto, para a surpresa de muitos, os desenvolvedores do BitcoinABC anunciaram sua intenção de lançar o protocolo em 1.º de agosto, ou seja, no mesmo dia em que a ativação UASF deve ocorrer.

O que é BitcoinABC (Bitcoin Cash) e quando ele aparece?

Em primeiro lugar, é um fork da rede do Bitcoin atual, que, embora preserve o histórico de registros anterior, é incompatível com as soluções descritas nas propostas do SegWit2x e UASF. No entanto, a probabilidade de sua implementação, de acordo com muitos representantes da indústria, é estimada em quase 99%.

A seção de FAQ no site do projeto diz:

– A Bitcoin Cash é diferente do Bitcoin?

– Sim. A Bitcoin Cash é a continuação do projeto Bitcoin como uma moeda digital peer-to-peer. Este é o fork da rede do Bitcoin com regras de consenso atualizadas, graças ao qual é possível o seu maior crescimento e escala.

Eu uso Bitcoin. Como isso me afeta pessoalmente?

O fork do Bitcoin Cash significa que se um usuário tiver certo número de Bitcoins a partir de 06:20 horas de Brasília em 1º de agosto de 2017, quando a ativação de um novo client é esperado, ele terá o mesmo número de moedas BCC.

Ou seja, dinheiro grátis?

Sim. Mas sob uma condição – o usuário deve controlar pessoalmente as chaves privadas de sua carteira. Se os fundos estiverem armazenados em um provedor externo (por exemplo, na corretora ou em uma das carteiras online), existe uma grande probabilidade de o usuário não poder receber as moedas BCC que são dele. Por exemplo, a popular carteira da Coinbase já afirmou que não suportará o Bitcoin Cash, pois é incompatível com a versão atual do Bitcoin.

Uma série de corretoras e carteiras declararam estar prontas para distribuir BCC entre os usuários, mas não há certeza de que tecnicamente estejam prontas para fazer isso.

Quais outros riscos podem haver ao lançar o Bitcoin Cash?

Todos os hashs correm o risco de ataques de repetição e ataques de eliminação. De acordo com os desenvolvedores do Bitcoin Cash, a proteção contra ataques de repetição já está incorporada no novo software. Quanto ao risco de um ataque de apagamento, esse pode revelar-se insignificante, uma vez que é uma blockchain absolutamente nova.

Quais são as principais propriedades do Bitcoin Cash?

Primeiro, o Bitcoin Cash oferece um tamanho de bloco significativamente maior – 8Mb versus 1MB da versão atual do Bitcoin. O tamanho do bloco no Bitcoin Cash é assumido como configurável conforme necessário.

Em segundo lugar, como já mencionado, o novo software possui um mecanismo interno para proteger contra ataques (embora essa declaração seja questionada por vários desenvolvedores de Bitcoin, e mesmo posta em duvida), bem como uma estrutura ligeiramente diferente de assinaturas de transações.

Em terceiro lugar, a Bitcoin Cash promete um recálculo de complexidade mais rápido do que a versão atual do Bitcoin (2016 blocos).

O que isso significa para o Bitcoin usual?

Esta é a pergunta mais difícil de responder nessa fase. De acordo com uma parte da comunidade, o fork Bitcoin Cash não é nada além de uma nova Altcoin, que terá sua própria blockchain e seu próprio ticker BCC, e não BTC.

No entanto, há dúvidas sobre quais pools seguirão o BCC, qual será seu poder de hash. E se esse poder for maior que a versão atual do Bitcoin? Quais serão os volumes das duas cadeias e como será a relação de preço das duas moedas?

Finalmente, como o lançamento do Bitcoin Cash pode afetar a segunda parte do Segwit2x, ou seja, para aumentar o tamanho do bloco para 2MB e qual circuito será selecionado por projetos executados em cima da blockchain do Bitcoin (CounterParty, Omni, etc.)?

Qual é a melhor maneira de se preparar para o hard fork?

Faz sentido esclarecer com seus provedores como eles estão se preparando para um possível hard fork, caso contrário, a melhor solução será retirar fundos para uma carteira, na qual se tenha controle das chaves privadas. Nesse caso, após o início do hard fork e o surgimento das moedas novas, o usuário terá a oportunidade de realizar as ações necessárias e obter moedas em ambas as cadeias.

Quais corretoras e carteiras suportam o Bitcoin Cash?

Embora não existam tantas informações disponíveis, a partir de 26 de julho, os serviços abaixo já disseram que suportarão tanto a versão tradicional quanto o BCC:

  • ViaBTC; OKex (OkCoin);
  • BitHumb;
  • Huobi;
  • BitcoinABC;
  • Ledger;
  • Electrum Cash (a equipe da popular carteira Electrum já fez uma declaração de que não tem nada a ver com o último).