Reserva Federal: criptomoedas não representam ameaça à economia dos EUA

Um membro do Conselho de Governadores da Reserva Federal (FRS), Lael Brainard, chamou o Bitcoin e outras criptomoedas de "extremamente voláteis", mas deixou claro que essa nova classe de ativos não representa uma ameaça à estabilidade da economia americana.

Publicado em 6 de Abril de 2018 por

Um membro do Conselho de Governadores da Reserva Federal (FRS), Lael Brainard, chamou o Bitcoin e outras criptomoedas de “extremamente voláteis”, mas deixou claro que essa nova classe de ativos não representa uma ameaça à estabilidade da economia americana. Isso foi relatado pela CoinDesk.

“Um dos aspectos controlados pela Reserva Federal é a extrema volatilidade mostrada por algumas criptomoedas. Por exemplo, em 2017, o Bitcoin cresceu mais de 1000% e depois, caiu acentuadamente nos últimos meses”, afirmou Brainard durante um discurso em Nova York.

Publicidade

Publicidade

Ela também pediu aos investidores que sejam cautelosos ao trabalharem em mercados altamente especulativos, onde é necessário que se tenha uma idéia das “possíveis armadilhas” e da escala das prováveis perdas. Como muitos outros representantes do estabelecimento, Brainard não esqueceu de tocar na questão de proteção ao investidor e também de mencionar os riscos de lavagem de dinheiro com a ajuda de criptomoedas.

Esses mercados podem levantar questões importantes para a proteção de investidores e consumidores, e alguns deles parecem ser particularmente vulneráveis aos riscos de lavagem de dinheiro, acrescentou a porta-voz da Reserva Federal.

Ao mesmo tempo, Brainard observou que as criptomoedas dificilmente “representam uma ameaça à estabilidade financeira”, já que raramente são utilizadas em pagamentos diários. De acordo com ela, não há muitas evidências de que os investidores tenham pego empréstimos de grandes quantias de dinheiro a investimentos em ativos criptomonetários.

Publicidade

Publicidade

Conforme observado no relatório State of the Blockchain 2018, preparado pela CoinDesk, apenas 19% dos entrevistados emprestaram dinheiro para comprar criptomoedas. Destes, mais da metade já pagou essas dívidas.

Lael Brainard enfatizou que a FRS continuará monitorando de perto a indústria de criptomoedas.

“Nossa avaliação desses mercados é limitada pela falta de transparência dos mesmos. Mesmo assim, continuaremos a estudá-los”, concluiu ela.

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment