Ripple e Stellar são excluídos de novo fundo da Morgan Creek Digital

Publicado em 31 de agosto de 2018 por

A empresa de risco Morgan Creek Digital Assets, em parceria com a Bitwise Asset Management, anunciou o lançamento de um novo fundo de investimento, excluindo, no entanto, várias criptomoedas mais líquidas. Isso foi relatado pela revista Forbes.

Como explicaram os representantes da empresa, o Digital Asset Index Fund, em particular, não inclui criptomoedas com pré-mineração.

“Se houver uma parte central que detenha 30% ou mais da emissão, não incluiremos esses ativos. Acreditamos que isso representa grandes riscos adicionais, o que pode não ser o caso com uma rede mais descentralizada”, afirmou Anthony Pompliano, fundador e sócio da Morgan Creek Digital Assets.

Além do Bitcoin e Ethereum, o novo fundo de índice inclui criptomoedas como Bitcoin Cash, EOS, Litecoin, Zcash, Monero, Dash, Ethereum Classic e Omisego. Segundo o site da empresa, o Bitcoin representa quase 70% da carteira.

Ripple e Stellar são excluídos de novo fundo da Morgan Creek Digital. BTCSoul.com

Entre os principais critérios para inclusão dos ativos no índice, a empresa cita capitalização de mercado, capacidade técnica de armazenamento “frio” seguro de ativos e limites de concentração de comércio.

IOTA e Cardano, por exemplo, não entraram na carteira de investimentos porque não cumpriram os requisitos de armazenamento frio. Tezos não atendeu aos requisitos de câmbio e o Vechain não foi incluído porque a maioria da negociação nesse ativo acontece na Binance. Além desses, a lista não inclui TRON, NEO, NEM e ICON.

Entre os possíveis riscos regulatórios associados à centralização das criptomoedas, um dos fatores frequentemente citados é alta probabilidade de manipulação de mercado pelos detentores de tokens, bem como a ameaça de que os reguladores reconheçam tais ativos como valores mobiliários.

Anthony Pompliano, no entanto, está convencido de que a Morgan Creek Digital Assets criou o produto certo.

“Estamos totalmente preparados e sentimos que criamos algo que será atraente para os investidores institucionais, independentemente de como os ativos serão classificados, sejam valores mobiliários ou não”, acrescentou ele.

A empresa de gestão de ativos Bitwise Asset Management, que ajudou a criar o novo fundo, é liderada pelo CEO da AngelList, Naval Ravikant, que em outubro de 2017, apresentou seu primeiro produto: o Bitwise HOLD10 Private Index Fund.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment