Royal Mint Gold (RGM), a blockchain que vale ouro

Um dos produtores de lingotes mais antigos do Reino Unido e entidade que ataca moedas britânicas, a Royal Mint, acaba de anunciar a blockchain legitimada por ouro.

Publicado em 3 de dezembro de 2016 por

Um dos produtores de lingotes mais antigos do Reino Unido e entidade que ataca moedas britânicas, a Royal Mint, acaba de anunciar a blockchain legitimada por ouro. Em parceria com uma das maiores empresas do mundo de negócios futuros e opções de investimentos, o CME Group, as duas empresas pretendem lançar seu projeto blockchain em 2017.

Criando imóveis em blocos de ouro

A mina real tem 1.000 anos de idade e é uma organização bem conhecida que lida com a cunhagem e venda de metais preciosos. Em um anúncio feito em 29 de novembro, as duas empresas vão colaborar em um ativo digital legitimado por ouro chamado Royal Mint Gold (RMG). A iniciativa do CME Group e da Royal Mint em criar A RMG vai transformar o comércio de ouro e mercados de liquidação.

Publicidade

Publicidade

A nova plataforma será projetada pela empresa de futuros CME Group e espera lançar o produto em algum momento em 2017. A RMG será baseada em uma plataforma blockchain que registrará a propriedade digital dos lingotes armazenados nos cofres de armazenamento da Royal Mint. O ledger distribuído fornecerá uma paisagem criptograficamente segura para comprar, segurar e negociar ouro.

“A Royal Mint tem uma história única e uma reputação confiável que ganhou ao longo de muitos séculos no comércio de ouro, mas até agora, não houve uma maneira digital do comércio de ouro físico.” Vin Wijeratne, CFO da Royal Mint, explicou. “O desenvolvimento de uma plataforma de negociação com o CME Group irá satisfazer as demandas dos clientes por formas mais rápidas, econômicas e seguras de comprar, armazenar e vender ouro e complementar nossos produtos existentes. Esta parceria irá nos permitir combinar a Royal Mint, líder mundial, a melhor plataforma de negociação de futuros globalmente e a melhor tecnologia de classe”.

Valores de propriedade e armazenamento

David Janczewski, Diretor de Novos Negócios da Royal Mint, detalhou que os inovadores protocolos de blockchain são algo que pode realmente mudar o jogo, e um produto de ouro digital está na lista de tarefas da empresa há algum tempo. A parceria com a bolsa americana de negócios futuros, CME Group, trouxe a ideia à vida, explicou Janczewski.

Publicidade

Publicidade

“Agora estamos convidando o mercado mais amplo a participar desse projeto ao lado de nós e do CME Group, e estamos ansiosos para nos envolver com as partes interessadas nos próximos dias”, afirmou. “A participação nos permitirá desenvolver as plataformas para poder conectar-se à rede CME e negociar ouro.”

As empresas revelam que a RMG pode ser financiada com até US $ 1 bilhão de ouro. O CME Group vai lançar a plataforma de ouro digital e operá-la 24 horas por dia. Além disso, os custos tradicionais associados às taxas de gestão e armazenagem serão inexistentes. A Royal Mint detalha que, se houver demanda significativa pelo produto RMG, a empresa emitirá mais no futuro.

Projetos de blockchain baseadas em ouro estão em alta

O produto da blockchain da Real Casa da Moeda não será a única oferta de contabilidade distribuída em ouro disponível, já que outros estão trabalhando em ofertas semelhantes. Por exemplo, DigixDAO é outra plataforma que negocia ouro baseada em blockchain na rede Ethereum. Os tokens Digix representam 1g de ouro e são divisíveis por 0.0001g, e através do framework Ethereum, o sistema é descentralizado.

Outro projeto envolvendo tecnologia de blockchain para ouro está sendo produzido pelas empresas de fintech Paxos e Euroclear. A plataforma de liquidação e pós-negociação de ouro em blockchain, pretende operar dentro do London Bullion Market. O projeto Bankchain foi revelado durante a conferência anual da SIBOS em Genebra como o “primeiro caso de uso de blockchains concretas para liquidação de ouro”.

O CME e a Royal Mint parecem otimistas em relação ao desenvolvimento da blockchain legitimada por ouro. “A inovação é o cerne dos negócios do CME Group e o trabalho que fizemos com a RMG na Royal Mint é testemunho do progresso do CME Group na aplicação de ativos digitais e de tecnologia de contabilidade distribuída aos mercados financeiros. Ao colaborarmos com a Royal Mint, estabelecemos um novo marco na digitalização do valor”, disse Sandra Ro, líder de digitalização do CME Group.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment