russia eua bitcoin

Um economista de Moscou disse que o governo russo está querendo investir em Bitcoin no mês que vem, supostamente esse investimento ocorrerá para escapar das sanções impostas ao país pelo governo dos EUA. A noticia foi veiculada pelo site australiano Micky.

Vladislav Ginko, professor da Academia Russa Presidencial de Economia e Administração Pública de Moscou, antecipa que novas sanções por parte do governo dos EUA forçarão o Kremlin a diversificar suas reservas de caixa em Bitcoin. De acordo com ele:

“As sanções impostas pelos EUA podem ser mitigadas apenas com o uso do Bitcoin”, disse Ginko. “Acredito que a Rússia [o governo] começará a diversificar suas reservas com o Bitcoin em fevereiro deste ano, quando o Congresso dos EUA introduzirá … novas sanções contra a Rússia”.

Ginko estimou que a primeira onda de investimento russo em criptografia pode começar em fevereiro e poderá levar bilhões de dólares ao mercado ele também acredita que o investimento virá tanto do setor estatal quanto do privado.

Seria o Bitcoin uma saída para o eterno cabo de guerra Rússia x EUA?

Não será a primeira vez que um país que enfrenta a ira econômica de Washington se volta para o Bitcoin. No ano passado, Venezuela, Coreia do Norte e Irã exploraram o uso de criptomoedas para contornar as sanções dos EUA.

Vladislav Ginko já havia feito comentários econômicos pró-criptografia para a televisão estatal e a rádio russa e, embora isso seja apenas especulação atualmente, parece que houve ligações do Kremlin com projetos de criptografia nas semanas anteriores.

O presidente russo, Vladimir Putin, disse que a uma instabilidade inerente no sistema financeiro dependente do dólar e que isso criou a necessidade de Moscou considerar moedas de reserva alternativas. Os repetidos apelos de Donald Trump para “a América primeiro” supostamente exacerbaram esse sentimento.

Rússia e NEO

Como a maioria dos governos, a Rússia alertou contra o risco de investir em ativos altamente voláteis, mas não condenou diretamente o Bitcoin ao contrário de sua vizinha, a China, que considera a criptografia um eixo financeiro do mal.

Ligações entre Moscou e a plataforma Blockchain chinesa Neo foram relatadas em Novembro, quando foi solicitada uma ligação entre a Associação Russa de Criptomoedas e Blockchain e o Centro de Competências NEO em São Petersburgo “de acordo com o pedido do Presidente da Federação Russa. Vladimir Putin. ”

A NEO foi apelidada de ‘Ethereum chinês’, pois fornece uma plataforma Blockchain para aplicações descentralizadas, e isso parece indicar a possibilidade de a Rússia fazer incursões mais profundas no universo criptográfico.

Tal medida poderia ajudar a reverter o mercado de ursos que vem ocorrendo desde o ano passado, como outras nações provavelmente seguirão o exemplo em um esforço para se distanciar do dólar, enquanto a economia da América é dirigida de forma rígida pelo presidente Trump.

Aqui fica a pergunta esse investimento maciço por parte de um País fará bem ou mal ao mercado de criptomoedas, se por um lado um forte investimento em dinheiro será bom, talvez esses investimentos tragam ainda mais problemas para as criptomoedas com outros países é esperar para ver.

Vale lembrar também que, independentemente de toda a questão se a Rússia adotara o Bitcoin ou alguma criptomoeda para si, ou se até mesmo vá criar um ativo inteiramente novo, conforme relatamos aqui, a Rússia é o país que mais negocia Bitcoin via P2P através do popular site LocalBitcoins.