SEC estuda atividade de Riot Blockchain, empresa que se “transformou” em companhia de Blockchain

A antiga empresa de biotecnologia, Riot Blockchain, cujas ações são negociadas na bolsa Nasdaq e que no ano passado apareceu nas manchetes dos jornais depois de começar a oferecer serviços no campo de Bitcoin e outras criptomoedas, atraiu a atenção da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC).

Publicado em 19 de Abril de 2018 por

A antiga empresa de biotecnologia, Riot Blockchain, cujas ações são negociadas na bolsa Nasdaq e que no ano passado apareceu nas manchetes dos jornais depois de começar a oferecer serviços no campo de Bitcoin e outras criptomoedas, atraiu a atenção da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC). Isso foi relatado pela CoinDesk.

Informações relevantes estão contidas no relatório anual da Riot Blockchain, publicado nesta terça-feira, 17 de abril. Como afirma a empresa, a SEC “solicitou algumas informações”.

Conforme explicado no documento, trata-se da classificação dos ativos da empresa e do possível montante de investimentos.

“A empresa pretende prestar assistência integral à SEC em sua solicitação”, declarou a Riot Blockchain.

A Riot Blockchain ficou conhecida como uma das primeiras empresas a mudar seu nome no final do ano passado, adicionando a palavra “Blockchain” a ele. Esta notícia elevou o preço das ações da Riot Blockchain de US$4,5 para mais de US$38,6.

No fim de fevereiro, investidores entraram com três ações coletivas contra a Riot Blockchain, onde acusavam a empresa de “violar as leis de valores mobiliários, manipular os preços das ações e fornecer informações falsas e enganosas”.

No entanto, todos esses eventos não impediram a Riot Blockchain de enviar um pedido público à SEC para a abertura de uma plataforma para negociação de criptomoedas e futuros nos EUA.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment