Sete grandes bancos unidos em blockchain

Sete grandes bancos se unem em um projeto de Financiamento ao Comércio baseado em Blockchain, assim nasce a MoU, vejamos onde isso vai parar.

Publicado em 20 de janeiro de 2017 por

Sete grandes bancos e instituições financeiras, incluindo HSBC, Deutsche Bank, KBC, Natixis, Rabobank, Societe Generale e UniCredit assinaram um memorando de entendimento, doravante denominado como MoU, em Bruxelas, para desenvolver uma plataforma de blockchain para financiamento do comércio e da oferta baseada em Blockchain.

Após a conclusão e implementação do projeto conjunto, as sete instituições vão se concentrar em implementar a sua plataforma Blockchain para otimizar as operações de negociação financeira.

Publicidade

Publicidade

A plataforma, que é baseada em uma tecnologia chamada Trade Digital DTC, desenvolvida pelo banco belga KBC, liquidará as operações nacionais e internacionais.

Criação de uma plataforma compartilhada

A DTC, a base da plataforma conjunta Blockchain, foi agraciada com o Prêmio de Inovação Accenture EFMA para o melhor novo produto ou serviço de 2016. A EFMA especificamente elogiou a capacidade da DTC de facilitar em muito as operações financeiras complexas em um ecossistema transparente.

 O gerente da unidade de negócios e financiamento ao comércio exterior do KBC, Koen Vierendeels, declarou:

“Graças à tecnologia Blockchain, temos agora a possibilidade de criar uma plataforma comum, onde importadores, exportadores e os respectivos bancos podem digitalmente e com segurança finalizar acordos e facilmente acompanhar o status de suas transações comerciais. Por ter todas as partes em uma única plataforma, tudo será instantâneo, e poderemos acompanhar o status da negociação em tempo real”.

Essencialmente, o objetivo do projeto é utilizar a DTC para otimizar os processos de pagamento, reduzindo substancialmente os custos dos processos feitos pelos bancos, que atualmente são feitos manualmente, entenda-se, ordens e transações. Ao construir uma plataforma interbancária, o chefe global de produtos do HSBC, Vivek Ramachandran acredita que os bancos membros se beneficiarão de uma maior transparência e imutabilidade.

“Eu acredito que o comércio é o caso de uso perfeito para a tecnologia de contabilidade distribuída. Você quer que a transparência, verificabilidade, e imutabilidade de acordos e informações”, disse Ramachandran.

Outra grande contrato para a Bélgica

Em outra matéria, anunciamos que Londres formou uma ponte FinTech com o setor financeiro da Bélgica através da assinatura de um memorando de entendimento. O objetivo do acordo é permitir que startups FINTECH com sede no Reino Unido possam se comunicar e colaborar com outras empresas na Europa.

Na época, o ministro das Finanças belga Johan Van Overtveldt declarou:

“Londres é o setor financeiro da Europa, há uma série de infraestruturas … há um enorme pool de talentos que estão lá, não há disponibilidade de capital que está lá, então é claro que, mesmo com o Brexit, eles não vão embora assim. É uma mudança importante, mas não devemos subestimar a capacidade de resistência de Londres como um centro financeiro e FinTech. “

O memorando de entendimento entre os sete principais prestadores de serviços financeiros é outro contrato valioso para a Bélgica, especificamente para suas indústrias FINTECH e Blockchain. O esforço de colaboração entre as sete entidades abrirá portas para startups e prestadores de soluções inovadoras em Blockchain.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment