A Comissão de Supervisão do Mercado Financeiro da França (AMF) incluiu 15 sites de empresas que atuam no campo do criptoinvestimento em sua "lista negra".

O provedor de soluções de infraestrutura para liquidação SETL recebeu uma licença do regulador financeiro francês para atividades depositárias no mercado de valores mobiliários usando tecnologia de registro distribuído. Isso foi relatado pela CoinDesk.

Graças a uma licença do L’Autorité des marchés financiers, a empresa britânica poderá conectar-se a um novo mecanismo de liquidação de valores mobiliários na UE, chamado TARGET2-Securities (T2S). O objetivo do novo mecanismo é conquistar a liquidação centralizada de pagamentos em bancos centrais de todos os mercados de valores mobiliários europeus. O T2S foi projetado para substituir a infraestrutura antiga e fragmentada.

A SETL espera obter aprovação nas próximas semanas. O lançamento do novo repositório de valores mobiliários está previsto para o início do próximo ano.

A solução da SETL foi apresentada em outubro do ano passado. A empresa descreve seu produto como “uma infraestrutura institucional de múltiplas moedas para liquidação e pagamentos visando uma ampla gama de ativos”. O sistema emprega um registro distribuído exclusivo (autorizado) para registrar informações de propriedade e dados de transação. Além disso, a tecnologia permite que os participantes do mercado troquem moedas e ativos diretamente, “garantindo a liquidação imediata das transações de mercado”.

A SETL foi fundada em 2015, e recebeu apoio de grandes participantes do mercado financeiro. Em fevereiro, por exemplo, uma participação na SETL foi adquirida pelo banco internacional Citi. Já em 2016, a empresa recebeu investimentos da consultoria Deloitte e anunciou uma parceria com a startup britânica Cobalt. Segundo a CrunchBase, o montante total de investimentos atraídos pela empresa é de US$39 milhões.