Shrem responde a acusações de Winklevoss sobre roubo de 5 mil BTC

Os famosos irmãos gêmeos, Cameron e Tyler Winklevoss,  publicaram no blog da corretora Gemini uma proposta para criar uma organização auto-reguladora para o desenvolvimento da indústria de criptomoedas.

Publicado em 7 de novembro de 2018 por

O fundador da já inativa corretora BitInstant, Charlie Schrem, negou seu envolvimento na apropriação de 5 mil BTC pertencentes aos irmãos Cameron e Tyler Winklevoss, fundadores da Gemini. Isso foi relatado pela CoinDesk com referência a um documento registrado no Tribunal Distrital do Distrito Sul de Nova York.

Shrem argumenta que os irmãos Winklevoss não forneceram razões suficientes para acusá-lo de intenção criminosa. Como contra-argumento básico, ele afirmou que os 5 mil Bitcoins que estavam na sua carteira pertenciam a outra pessoa, referida pelo documento como “Mr. X”. O empresário alega que ajudou Mr. X a transferir 5 mil Bitcoins para uma carteira fria, mas que ele mesmo não teve acesso a esses fundos.

“Pessoalmente, eu não tinha os 5 mil Bitcoins que são discutidos acima. Na verdade, eu não tive 5 mil Bitcoins em momento algum”, afirmou.

Em apoio às suas palavras, Charlie Schrem forneceu Extratos de Transação do serviço Blockchain, que indicam que os 5 mil Bitcoins chegaram e deixaram a carteira associada a ele no dia 31 de dezembro de 2012.

Ele explicou suas compras caras com fundos acumulados e ganhos honestamente, em particular, de trabalhar em um restaurante na Pensilvânia.

Shrem recorreu ao tribunal para desbloquear seus fundos, que haviam sido congelados durante o processo sobre o caso de sua corretora BitInstant.

Cameron e Tyler Winklevoss ainda não comentaram a situação.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment