Singapore Power: Companhias de energia se unirão em blockchain

A Singapore Power, companhia de Cingapura que provê eletricidade e gás no país, anunciou uma colaboração com outras empresas globais do ramo, para desenvolver uma solução em blockchain para ajudar na economia dos custos e com isso diminuir o valor desses serviços ao consumidor.

Publicado em 17 de maio de 2017 por

A Singapore Power, companhia de Cingapura que provê eletricidade e gás no país, anunciou uma colaboração com outras empresas globais do ramo, para desenvolver uma solução em blockchain para ajudar na economia dos custos e com isso diminuir o valor desses serviços ao consumidor.

Em um anúncio feito na terça-feira, o Grupo SP (Singapore Power) revelou a formação de um novo consórcio, comprometendo grandes figuras da energia global que estão unindo forças para desenvolver soluções de blockchain.

Publicidade

Publicidade

Como entidade corporativa dos departamentos de eletricidade e gás de Cingapura, a Singapore Power é uma das maiores corporações do país. A empresa foi criada para assumir as operações de eletricidade e gás da estatal Public Utilities Board em 1985.

O fornecedor de energia sublinha todo o potencial da tecnologia blockchain para “transformar” o setor de energia. Reduzir o custo das contas dos serviços públicos e a integração eficiente crescente das fontes de energia renováveis ​​na rede elétrica do país são vistos como os dois principais benefícios da introdução da tecnologia inovadora.

Para os consumidores especificamente, a SP afirma que a tecnologia blockchain permitiria que os dispositivos que consomem energia, incluindo sistemas de aquecimento, ventilação e ar condicionado, juntamente com veículos elétricos, baterias e células solares, possam “negociar uns com os outros”.

Publicidade

Publicidade

A integração de fontes renováveis ​​de energia também seria muito mais barata entre as concessionárias, de serviços públicos e os operadores das redes, conectadas entre si por uma blockchain.

May Liew, diretora de desenvolvimento estratégico do Grupo SP declarou:

“Estamos tomando a direção das soluções transformacionais para atender melhor os clientes, à medida que mudamos para um futuro energético mais limpo, mais robusto e mais econômico”.

Em parceria com a Singapore Power, em seu esforço de blockchain, está a Energy Web Foundation (EWF), uma organização global independente sem fins lucrativos, que defende e acelera a tecnologia blockchain em todo o setor de energia.

Se unindo à Singapore Power no desenvolvimento e exploração de soluções em blockchain no consórcio global de energia temos a Centrica PLC, a concessionária francesa Engie, a Sempra Energy, a fornecedora holandesa Stedin, a alemã Technical Works Ludwigshafen AG (TWL) e a japonesa Tokyo Electric Power Co (Tepco); e entre as  empresas de petróleo e gás temos a  Royal Dutch Shell e Statoil ASA da Noruega; E a operadora belga de sistemas de transmissão, Elia.

Agora, se isso não quer dizer que a blockchain está no top entre os interesses energéticos da região da Ásia-Pacífico, não dá pra dizer ao certo o que está!

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment