Os desenvolvedores da Stellar planejam implementar o protocolo Lightning em sua rede ainda este ano como forma de resolver um problema que aflige muitas criptomoedas: o dimensionamento da rede.

Rede de pagamento descentralizada, a Stellar anunciou a rodada final do seu Programa Bitcoin-Lumen, onde os titulares da Bitcoin podem reivindicar seu token de lúmen gratuitamente.

O programa, que começou em abril de 2016, apresenta 19% da oferta total de lúmen, que os desenvolvedores reservaram exclusivamente para usuários do Bitcoin.

Dos 19 bilhões de lúmens oferecidos, apenas 3 bilhões formaram entregues na rodada do sorteio, com detalhes de lançamento dos restantes 16 bilhões a serem oficialmente anunciados em 28 de março.

O valor dos tokens restantes é aproximadamente US$ 16 milhões.

“O Bitcoin agiu como uma inspiração profunda para Stellar, e é por isso que criamos este programa em nosso lançamento. A rede Bitcoin foi a primeira a mostrar que é possível que um grupo de partes não confiáveis concordem em um banco de dados comum e a comunidade Bitcoin ainda influencia nossa compreensão do impacto desta tecnologia”, disse Kim Vu, em comunicado.

Os Lumens foram originalmente conhecidos como tokens estelares, o nome mudou para evitar confusão com a rede e a organização sem fins lucrativos Stellar.org.

A Stellar pretende oferecer pagamentos internacionais quase instantâneos a um custo significativamente menor do que as principais alternativas. A sua mais recente tecnologia liga as organizações parceiras numa ideia semelhante à SWIFT que opera com instituições fiduciárias.

“Dada à natureza diversificada dos serviços financeiros globais hoje em dia, essa interoperabilidade pode reduzir substancialmente os custos de remessas globais ao tornar as transações que cruzam fronteiras nacionais, moedas e instituições financeiras muito mais eficientes”, disse o CEO Jed McCaleb no lançamento em dezembro.

Então se você tem um ou mais Bitcoins entre no site e descubra como pegar seu token Lúmen.