Na terça-feira, dia 23 de janeiro, a Tether Ltd suspendeu a emissão de Tokens USDT. Foi neste dia também que o correio entregou uma convocação da Comissão de Negociação de Futuros dos EUA (CFTC) aos representantes da empresa.

Agências policiais brasileiras apelaram para as autoridades das Bahamas para que ajudem na investigação de transações suspeitas do Deltec Bank & Trust, novo sócio bancário da Tether Limited. Isso foi relatado pelo O Globo.

A Procuradoria Geral do Estado de São Paulo está investigando o caso de Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da construtora rodoviária DERSA. Souza é acusado de aceitar propina da empresa comercial Odebrecht.

Supõe-se que o chefe da DERSA tenha transferido cerca de US$25 milhões para as contas da empresa offshore panamenha Nantes Group, que foram servidos pelo banco suíço Bordier & Cie. De acordo com os policiais, Souza era o beneficiário direto dessas contas.

No entanto, os investigadores estão convencidos de que a empresa panamenha não era o último elo no esquema da lavagem de dinheiro: em fevereiro de 2017, esses fundos supostamente migraram para contas no Deltec Bank & Trust, das Bahamas.

No momento, a Procuradoria brasileira está aguardando uma resposta oficial das Bahamas sobre se o dinheiro de Souza realmente está nas contas do Deltec Bank & Trust. Foi relatado também que os países já têm experiência em lidar conjuntamente com casos de lavagem de dinheiro.

Vale ressaltar que anteriormente, o presidente do conselho de administração do Deltec Bank & Trust, Jean Chalopin, confirmou a autenticidade da carta datada de 1 de novembro, que afirmava que ao final do dia 31 de outubro, a Tether Limited tinha US$1.831.322.828 em sua conta bancária.