Startup IOHK criptomoedas e blockchain em rede universitária

IOHK visa a pesquisa acadêmica em tecnologias emergentes como Bitcoin

Publicado em 1 de março de 2017 por

A startup de pesquisa e desenvolvimento de blockchain, IOHK, está construindo uma rede de parcerias universitárias. Até agora, IOHK fez parceria com a Universidade de Edimburgo na Escócia, e com o Instituto de Tecnologia de Tóquio, que vai reunir acadêmicos e estudantes de criptomoeda e estudos de livro-razão distribuídos.

IOHK visa a pesquisa acadêmica em tecnologias emergentes como Bitcoin

A Rede IOHK é uma empresa de tecnologia especializada em desenvolvimento de blockchain e criptomoeda para instituições acadêmicas, entidades governamentais e corporações. A startup foi fundada no ano passado por Hoskinson, co-fundador original do Ethereum, e Jeremy Wood. A equipe da IOHK fez parceria em fevereiro com duas importantes universidades para promover a educação e desenvolvimento do emergente ecossistema de criptomoedas.

Publicidade

Publicidade

A Universidade de Edimburgo vai lançar um Laboratório de Tecnologia Blockchain em sua Escola de Informática. O laboratório irá capacitar os alunos que poderão então colaborar em pesquisa e desenvolvimento de criptomoeda e blockchain.

Além disso, o Tokyo Institute of Technology irá fornecer um centro semelhante, dedicado à criptomoeda e inovação blockchain no espaço acadêmico. A IOHK diz que o laboratório de pesquisa da Universidade de Edimburgo servirá como uma espécie de sede para redes de universidades. A empresa também espera criar laboratórios de pesquisa em universidades nos EUA e na Grécia até o final deste ano.

“A parceria da IOHK com a Universidade de Edimburgo oferece oportunidades únicas para os alunos atuais se tornarem a próxima geração de líderes em blockchain e criptografia”, explicou Wood. “Como uma sede para a comunidade de pesquisa acadêmica internacional da IOHK, esperamos ver a universidade facilitar projetos inovadores que guiarão as empresas e os governos nos caminhos da blockchain e das criptomoedas.”

Pesquisa pioneira entre instituições educacionais

O Professor Kiayias da startup de criptomoeda e Blockchain da Rede Universitária da Universidade de Edimburgo, e o diretor da escola Sir Timothy O’Shea, estão animados para colaborar em projetos de criptomoeda e blockchain no laboratório da Escola de Informática.

 Além disso, a iniciativa da Tokyo Tech vai criar uma “cadeira de colaboração”, onde os pesquisadores e alunos irão produzir seminários, trabalhos acadêmicos, cursos livres, palestras e muito mais. “Essencialmente, pioneiro nesta área de pesquisa entre instituições de ensino no Japão”, explica a IOHK.

“Este acordo é importante porque a Tokyo Tech está buscando melhorar a colaboração entre as indústrias e universidades no Japão e no exterior, produzindo resultados inovadores em pesquisa e engenharia, que serão publicados em revistas de renome internacional e conferências científicas,” detalhada o Presidente da Tokyo Tech, Yoshinao Mishima.

Hoskinson explica que sua empresa está feliz em se associar com essas instituições acadêmicas para promover essas tecnologoias.  “Essas parcerias desenvolverão os centros de negócios, criptomoedas e blockchain da IOHK, além de nutrir e estimular os talentos globais nestas áreas no Reino Unido e Japão”, disse Hoskinson.

A crescente lista de universidades dedicadas a pesquisar temas como Bitcoin

As escolas em Tóquio e no Reino Unido juntar-se-ão a uma lista crescente de universidades dedicadas à pesquisa de temas como Bitcoin e sua tecnologia subjacente, a blockchain.

Universidades como Princeton, The International Business School, a ESMT Berlim, a Universidade de Nicosia, Escola de Frankfurt de Finanças e Gestão, Institute of Technology de Massachusetts (MIT) e muitos outras criaram iniciativas de pesquisa em blockchain e cursos de criptomoeda.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment