Storj está mudando para blockchain do Ethereum

Baseado desde o princípio sob o protocolo do Counterparty, um client que roda na blockchain do Bitcoin, o serviço pretende transferir seu suporte para a blockchain do Ethereum, ou pelo menos para longe da blockchain do Bitcoin

Publicado em 24 de março de 2017 por

O Storj Labs pretende mudar seu serviço de armazenamento descentralizado para a blockchain do Ethereum.

Baseado desde o princípio sob o protocolo do Counterparty, um client que roda na blockchain do Bitcoin, o serviço pretende transferir seu suporte para a blockchain do Ethereum, ou pelo menos para longe da blockchain do Bitcoin por causa da mudança econômica que ocorre na rede.

Em entrevista para o portal digital, Coindesk, o CEO da Storj, Shawn Wilkinson creditou a decisão da empresa em mudar para a rede do Ethereum à vários fatores, inclusive o declínio do Counterparty. Wilkinson disse:

“Se você vai construir um trem, um bem grande, e estiver fazendo trilhos, então você vai escolher o maior lugar possível. Esta não é apenas uma decisão técnica, mas sim analisada e escolhida a partir de uma rede que é amplamente utilizada”.

O post oficial do blog da Storj cita a falta de novos desenvolvimentos no Counterparty como uma preocupação para a empresa, algo que não é problema no Ethereum.

Na mesma publicação, eles ainda citam as vantagens de utilizar a rede Ethereum devido a possibilidade de emitirem seus tokens com facilidade, além de possuírem vasto suporte da comunidade Ethereum.

A Storj também reportou que os usuários, chamados de “farmers” (ou fazendeiros), acabaram tendo de pagar altas taxas de negociação devido à falta de escalamento da blockchain do Bitcoin.

A empresa complementou dizendo que, “em fevereiro pagamos mais de US$ 1.600 em taxas transacionais, ou por volta de 13% do valor total em pagamentos. Isso não é sustentável!”.

Breve histórico da Storj

Fundada em 2014, a Storj usa um token criptográfico nativo chamado de Storjcoin X (SJCX) para incentivar aqueles com espaço sobrando em seu computador a estocar os arquivos para os usuários do sistema Storj. A tecnologia combinada então é vendida como um modelo simples de SaaS (Software as a Service).

Em fevereiro, a Storj anunciou que havia angariado US$ 3 milhões em investimentos, a maior parte obtida através do tradicional crowdfunding.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment