A correção do Bitcoin em 2018 não repetirá cenário de quatro anos atrás devido a significativas mudanças na estrutura do mercado. Esta suposição foi feita pelo analista e investidor de criptomoedas Willie Wu

Thomas Lee, analista e cofundador da Fundstrat Global Advisors, está convencido de que a estabilização acima de US$6 mil e as expectativas associadas a grandes investimentos no Bitcoin se tornarão poderosos fatores para o crescimento do preço da Primeira Moeda. Esta opinião foi expressa por Lee em uma entrevista à Bloomberg.

“US$6 mil é um nível muito mais importante do que você pensa. No início deste ano, notamos que US$6 mil é um ponto de equilíbrio para a mineração de Bitcoin. Portanto, esse nível deve resistir. O próprio fato de que o Bitcoin permanece nesse nível já é uma boa notícia. Acredito que existam catalisadores que contribuirão para a reversão da tendência no final do ano, apesar dos picos de preços mais baixos”, disse Lee.

Entre os fatores do futuro crescimento, o analista citou o desenvolvimento da infraestrutura de mercado e o FOMO (“Síndrome do Lucro Perdido”) entre os investidores institucionais. Adicionalmente, segundo Lee, a plataforma Bakkt desempenhará um significativo papel no crescimento, já que ainda de acordo com o analista, seu lançamento será o ponto de partida para o início de grandes investimentos em Bitcoin.

Além disso, Lee acredita que, antes de grandes empresas entrarem nesse mercado, o preço do BTC deve ser restaurado, superando mais uma vez as marcas de US$8,8 mil e US$10 mil.

Vale lembrar que na semana passada, Tom Lee expressou confiança de que o preço do Ethereum estava se preparando para uma reversão da tendência.