Verge – privacidade e agilidade nas transações

Verge é uma moeda virtual, que visa oferecer aos seus detentores privacidade e agilidade, oferecendo transações não rastreáveis ao mesmo tempo que permite alta taxa de transferência. Não há uma empresa por trás da Verge. O código por trás da moeda é aberto e liderado pela comunidade.

Publicado em 17 de julho de 2018 por

Verge

Verge é uma moeda virtual, que visa oferecer aos seus detentores privacidade e agilidade, oferecendo transações não rastreáveis ao mesmo tempo que permite alta taxa de transferência. Não há uma empresa por trás da Verge. O código por trás da moeda é aberto e liderado pela comunidade.

Originalmente, a Verge surgiu em 2014 sob o nome DogeCoinDark. No entanto, em 2016 a moeda foi rebatizada para Verge, com o intuito de se afastar da conotação sombria.

Tor e I2P – Anonimato

Para manter a privacidade das interações dos usuários, a Verge usa o famoso sistema de anonimização para endereços de IP, Tor.  Ao invés de rotear a conexão do usuário, por meio de um ISP, o Tor divide a conexão entre muitos computadores de transmissão na rede peer-to-peer. Dessa maneira o IP da mensagem é alterado diversas vezes dificultando o rastreamento.

Além dos Tor, na Verge o usuário também tem à disposição o I2P, que permite o roteamento dinâmico de pacotes de informações, ao contrário da primeira opção, que fornece roteamento de circuito baseado em diretório.

O I2P divide o roteamento em dois túneis, o que significa que as mensagens enviadas e as respostas a elas não trilham o mesmo caminho. Dessa forma, mesmo que alguém consiga rastrear uma conversa, por exemplo, só conseguirá ler metade das mensagens.

Portanto, a moeda Verge oferece duas opções de roteamento: Tor ou I2P. Contudo a anonimização é padrão da criptomoedas.

Carteiras

A Verge usa a carteira Electrum, desenvolvida originalmente para o Bitcoin. A Carteira suporta a integração do Tor e do I2P.

Além disso, aumentando a segurança, a Electrum suporta a recuperação de chave com senha e assinatura múltipla. Ou seja, talvez seja necessário que o usuário envie várias confirmações para uma mesma transação.

Por fim, a carteira Electrum se conecta à servidores descentralizados indexados ao blockchain, não sendo necessário, portanto, a operação de um nó completo ou download de todo o histórico de transações.

Mineração

A moeda Verge pode ser minerada de cinco maneiras diferentes, sendo cinco algoritmos PoW: Scrypt, X17, Lyra2re2, myr-groestl e blake2s. Dessa maneira, a Verge garante um nível ainda mais alto de descentralização uma vez que cinco algoritmos significam cinco plataformas diferentes de mineração.

Ao todo existem 16,5 bilhões de XVG, desse total estão em circulação no mercado 15.054.539.

Mercado VERGE

Desde que chegou ao mercado, a moeda Verge se manteve constantemente abaixo dos US $ 0,001, até julho do ano passado, quando começou a apresentar alguns sinais de alta.

Em dezembro desse mesmo ano, o XVG atingiu seu pico mais alto, tendo sido negociada por US $ 0,261874. Contudo, seguindo a tendência da maior parte das criptomoedas, a Verge não se manteve nesse nível por muito tempo e voltou a cair.

Do seu maior valor até o momento da redação a queda foi de cerca de 91%. De acordo com o CoinMarketCap, a cotação da moeda era de US $ 0,024053 no dia 6 de julho às 11:17.

A Binance e a Bittrex concentram os maiores volumes de negociações da moeda, embora a Fex e a Upbit também operem algumas das maiores transações. Uma lista completa a respeito do mercado pode ser acessado clicando no link: https://coinmarketcap.com/pt-br/currencies/verge/#markets

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment