Vinhos italianos processados via Blockchain, autenticidade garantida.

A EY cria o Wine Blockchain com o objetivo de certificar e comunicar a qualidade e origem geográfica dos vinhos produzidos na Itália. A startup EzLab também participa desse projeto.

Publicado em 16 de abril de 2017 por

A EY cria o Wine Blockchain com o objetivo de certificar e comunicar a qualidade e origem geográfica dos vinhos produzidos na Itália. A startup EzLab também participa desse projeto.

Graças a uma parceria entre a EY e a EzLab, a Wine Blockchain nasceu para certificar toda a produção do vinho, desde o vinhedo ate o consumidor final.

Publicidade

Publicidade

Como funciona

Este é o primeiro caso de uma relação digital entre o produtor e o cliente final que – graças a um rótulo inteligente na garrafa de vinho – pode ler sobre o produtor de vinho (identificado por uma assinatura digital), todo o processo de cultivo, produção e transformação do vinho, maximizando a confiança do consumidor.

Este processo acontece graças à tecnologia Blockchain que fornece todas as informações ligadas ao produto para que o consumidor possa verificar sua origem, características organolépticas e todo o processo agroalimentar e industrial a qualquer momento.

Usando seu próprio smartphone, o consumidor pode digitar o QR Code impresso na etiqueta do vinho, e pronto, todas as informações estarão disponíveis para ele.

Publicidade

Publicidade

O primeiro produto rastreado e certificado é o Vinho Falanghina, produzido pela Cantina Volpone. Em poucos dias, você será capaz de comprar seus vinhos também online.

Este “cartão de identificação digital” é uma oportunidade para lutar contra o dumping nos preços criados por produtos estrangeiros ou “italianos falsos” e para criar um modo de reconhecimento e promoção para os vinhos Made in Italy.

A Blockchain Ethereum

A Wine Blockchain usa um contrato inteligente construído em cima da Blockchain do Ethereum. Este contrato inteligente contém todas as informações que foram coletadas ao longo do processo de produção desde o vinhedo ate a mesa do consumidor.

Gerardo Gabriele Volpone, Consultor Digital e Inovação, Diretor da Adega Volpone, disse:

A coisa toda deve ser ligada ao mundo físico através do registro da assinatura digital do dono da empresa para que não exista outro indivíduo que possa registrar algo usando o nome Volpone”.

Há um crescente interesse mundial dos consumidores nos produtos: 74% afirmam ser afetados pela busca de informações de rastreabilidade e 60% controlam os rótulos dos produtos.

Além disso, nove em cada dez consumidores disseram que gostariam de saber mais sobre os vinhos italianos e seus critérios de certificação e mais de 70% desses mesmos consumidores estariam dispostos a pagar um preço mais alto se houvesse uma garantia de autenticidade e procedência.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment