Os serviços especiais dos EUA ofereceram um acordo ao cidadão russo Alexander Vinnik, que foi preso na Grécia por suspeita de lavar US$4 bilhões através da corretora BTC-e. Como uma fonte informada disse à RIA Novosti, os Estados Unidos supostamente garantem a Vinnik um prazo mínimo de prisão em troca de confissão de culpa.

Os serviços especiais dos EUA ofereceram um acordo ao cidadão russo Alexander Vinnik, que foi preso na Grécia por suspeita de lavar US$4 bilhões através da corretora BTC-e. Como uma fonte informada disse à RIA Novosti, os Estados Unidos supostamente garantem a Vinnik um prazo mínimo de prisão em troca de confissão de culpa.

“Vinnik é absolutamente contra isso”, acrescentou a fonte.

De acordo com o próprio prisioneiro, seu caso foi fabricado da mesma forma que os casos contra muitos outros especialistas em tecnologia da informação, a acusação é infundada e de natureza geral.

“Na transação, na qual o acusado tem a garantia de receber um período menor que no tribunal – e não muito grande em comparação a pena solicitada pela promotoria –, praticamente todos concordam e, portanto, não há investigação. A pessoa que aceita esse tipo de acordo fica privada do direito real de se defender”, acredita o russo.

Vinnik sublinhou que não pretende fazer um acordo com os EUA e admitir culpa por algo que não fez, porque neste caso, seus filhos podem ficar órfãos – a esposa de Vinnik está gravemente doente e ele pode enfrentar 55 anos de prisão se for extraditado.

A este respeito, o russo apelou às autoridades russas e agências de aplicação da lei com um pedido para protegê-lo e retornar à sua terra natal. Em troca, ele “está pronto para aplicar seu conhecimento e experiência sobre a tecnologia de Blockchain em benefício à Rússia”.

Vinnik tem certeza de que apenas a Rússia pode garantir sua segurança.

Vale ressaltar que no início de maio, uma fonte anônima afirmou que Vinnik tinha sido envenenado, recorrendo à ajuda de “elementos criminosos”. Segundo informações, a tentativa foi relacionada ao testemunho sobre vários crimes na esfera de tecnologias financeiras que Vinnik deu aos investigadores.