Western Union multada em US$ 586 milhões

A gigante de remessas Western Union foi multada em US$ 586 milhões depois de admitir a lavagem de dinheiro e apoio a transferências bancárias fraudulentas. A multa de US$ 586 milhões será usada como um reembolso para as vítimas dos crimes.

Publicado em 21 de janeiro de 2017 por

A gigante de remessas Western Union foi multada em US$ 586 milhões depois de admitir a lavagem de dinheiro e apoio a transferências bancárias fraudulentas. A multa de US$ 586 milhões será usada como um reembolso para as vítimas dos crimes.

Negligência

O Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) diz que a negligência da Western Union levou a más práticas, e que uma melhor vigilância poderia ter evitado imensos prejuízos  para os consumidores dos EUA, se tudo for confirmado

Publicidade

Publicidade

Edith Ramirez, presidente da Comissão Federal de Comércio (FTC), observou que:

“A Western Union deve a responder por seus atos perante os consumidores americanos, ela deveria proteger seus usuários, ao invés disso preferiu fazer vista grossa, olhar para outro lado , e seu sistema facilitou esquemas e roubos”.

O movimento segue investigações pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos que implicava a empresa por deliberadamente não manter um mecanismo eficiente contra a lavagem de dinheiro.

Publicidade

Publicidade

Os criminosos que engambelaram os americanos usavam os serviços da empresa para transferir seus ganhos. O advogado geral assistente em exercício, David Bitkower disse em um comunicado, divulgado na quinta, o seguinte:

“Conforme este caso demonstra, enviar dinheiro pode ser a maneira mais rápida de enviá-lo, diretamente para os bolsos de criminosos e fraudadores.”

Para evitar futuras ocorrências de atividades criminosas, a Western Union vai entrar em um acordo com o Departamento de Justiça e outras agências governamentais, incluindo a procuradoria-geral dos EUA.

O acordo inclui garantias sobre futuras fraudes possíveis. As garantias serão reguladas pela Comissão de Comércio Federal. O DOJ e a FTC exigem que a empresa tenha mecanismos para bloquear transferências suspeitas, ou que sejam alvo de investigações.

Eles também exigem a que a Western Union forneça avisos de fraude claros e transparentes ao consumidor sobre o seu papel e as formas de transferência de dinheiro eletrônico, e também que aumente a disponibilidade de sites e números de telefone que permitam aos consumidores apresentarem queixas de fraude e de reembolsar uma transferência de dinheiro induzida de forma fraudulenta se a empresa não conseguiu cumprir com os seus procedimentos antifraude em conexão com essa transação.

Todos os cidadãos norte-americanos que suspeitem terem sido alvo de fralde ou enganados por meio de transações fraudulentas via Western Union deverão denuncia-las ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Hipocrisia Oficial

Desde 2009, os governos têm vindo a apontar o dedo para o Bitcoin e outras moedas digitais como um canal para lavagem de dinheiro e atividades fraudulentas. Muitos especialistas de criptografia acreditam que as acusações eram infundadas, olhando para o valor de mercado escasso do Bitcoin.

Na verdade, o Bitcoin e a tecnologia blockchain podem evitar tais atividades criminosas. Mas governo nenhum admite isso, porque então teriam que adotar a tecnologia em seus governos, e isso não é bom. Dar ao povo esse nível de controle sobre os impostos pagos é o pesadelo da grande maioria dos governos existentes.

O momento é propício para que as pessoas evitem serviços de remessas tradicionais e abracem programas de transferência de dinheiro inteligentes baseados em Blockchain.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment