Na terça-feira, dia 19 de dezembro, a corretora sul-coreana de criptomoedas Youbit anunciou que está encerrando seus trabalhos e declarando falência depois de ter sido hackeda pela segunda vez em um ano.

Na terça-feira, dia 19 de dezembro, a corretora sul-coreana de criptomoedas Youbit anunciou que está encerrando seus trabalhos e declarando falência depois de ter sido hackeda pela segunda vez em um ano.

Em abril, a Exchange sofreu o primeiro hacking do ano. Os serviços especiais do país ligaram então o ataque cibernético – durante o qual cerca de 4 mil Bitcoins foram roubados – à Coréia do Norte.

No dia 19 de dezembro, às 4:35, hora local, a corretora anunciou em seu site que foi hackeada pela segunda vez e perdeu 17% dos ativos como resultado. A Youbit não especificou o valor, mas explicou que todos os ativos criptográficos dos usuários serão reduzidos para 75% de seu valor e declarou que interromperá a negociação e tentará minimizar as perdas dos clientes.

A Youbit é uma empresa pequena, enquanto a exchange sul-coreana Bithumb, é a maior do mundo e representa cerca de 70% do comércio cambial do país.

Funcionários da Agência de Segurança da Internet da Coréia do Sul (KISA), o órgão do governo incumbido de investigar ataques cibernéticos, informou que uma investigação sobre o hackeamento da Youbit juntamente com a polícia foi iniciada.

Os especialistas em segurança dizem que as corretoras de Bitcoins e as carteiras estão se tornando mais vulneráveis ​​aos cibercriminosos à medida que o valor da criptomoeda aumenta. Vale destacar que durante a preparação deste material, a taxa do Bitcoin era de US$18.345 (de acordo com a CoinMarketCap).