Os serviços especiais dos EUA ofereceram um acordo ao cidadão russo Alexander Vinnik, que foi preso na Grécia por suspeita de lavar US$4 bilhões através da corretora BTC-e. Como uma fonte informada disse à RIA Novosti, os Estados Unidos supostamente garantem a Vinnik um prazo mínimo de prisão em troca de confissão de culpa.

O cidadão russo Alexander Vinnik, detido na Grécia por acusações de lavagem de dinheiro, alegou que os cidadãos gregos estavam envolvidos em seu caso. Isto foi relatado à RIA Novosti pelo advogado do russo, Ilias Spirliadis.

De acordo com Vinnik, em 2017, durante sua estadia na Grécia, ele entrava na plataforma BTC-e para realizar transações criptomonetárias, inclusive para residentes do país.

Segundo ele, os dados dessas pessoas estão armazenados no computador confiscado pelas autoridades gregas.

Vinnik também disse que está pronto para cooperar com policiais gregos para identificar as pessoas a quem ele prestou serviços.

“Se ele estava na Grécia, se usava um computador grego, se entrava na plataforma enquanto estava na Grécia, e os cidadãos gregos eram clientes da BTC-e, então acho que há dados suficientes para iniciar o processo”, apontou Ilias Spirliadis.

O advogado do russo observa que Vinnik prefere a extradição para a Rússia. Adicionalmente, ele afirmou seu desejo de ter seu caso investigado na Grécia.