Autoridades espanholas rastrearão operações criptomonetárias de 15 mil cidadãos

O governo da Catalunha – estado que está vivendo uma crise de “identidade” e busca sua independência da Espanha – planeja seguir o exemplo da Estônia e criar uma economia paralela na nuvem.

Publicado em 22 de novembro de 2018 por

A Agência Tributária Espanhola (AEAT) monitorará as operações criptomonetárias de 15 mil residentes a fim de evitar fraudes e lavagem de dinheiro. Isso foi relatado pelo jornal local El País.

Como parte da nova iniciativa, a AEAT pretende estudar o “impacto financeiro das novas tecnologias”, incluindo da Blockchain e das criptomoedas. O Escritório providenciará para que as rendas das transações criptomonetárias sejam indicadas nas declarações de impostos pelos cidadãos “escolhidos”.

Essas inspeções da AEAT afetarão os contribuintes espanhóis que realizaram transações de criptomoedas no ano passado.

“O uso de criptomoedas como Bitcoin como meio de pagamento é um dos problemas mais sérios da atualidade. Para lidar com essa ameaça, as tecnologias de coleta e análise de informações para todos os tipos de redes usadas pelo departamento de pesquisa da Agência Tributária serão aprimoradas”, diz o artigo.

Vale destacar que em outubro, as autoridades espanholas aprovaram um projeto de lei segundo o qual os cidadãos são obrigados a divulgar informações sobre suas economias em criptomoedas.

Por fim, lembramos que em abril, a Agência Tributária Espanhola pediu a empresas comerciais locais e organizações financeiras que divulgassem os nomes e informações sobre transações comerciais de compradores de criptomoedas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment