Bill Miller: Bitcoin é a criptomoeda mais estável

O investidor norte-americano Bill Miller, de 67 anos, transferiu 90% dos ativos criptográficos à um fundo de hedge separado.

Publicado em 30 de julho de 2018 por

O famoso investidor americano Bill Miller está convencido de que o Bitcoin é a melhor e mais estável criptomoeda, e que em muitas características, é parecida com o ouro. Isso foi relatado pelo Bitcoinist.

O investidor acredita que o mercado de moedas digitais ainda está emergindo e, portanto, é difícil prever seu futuro. Em geral, Miller vê as criptomoedas como um curioso experimento tecnológico. Segundo ele, será muito interessante quando “muito dinheiro” de investidores institucionais chegar a esse mercado.

Note, no entanto, que Bill Miller é um maximalista do Bitcoin que acredita que as altcoins sejam de pouca utilidade.

“A maioria delas [criptomoedas] provavelmente não têm muita utilidade. O Bitcoin é uma das criptomoedas mais estáveis. Eu acho que ele tem muitas chances de sucesso”, compartilhou o investidor.

Miller também acredita que o Bitcoin é bom porque é um ativo incorrigível e muito semelhante ao ouro em muitos aspectos é semelhante ao ouro, adicionando também que a Primeira Moeda tem uma série de vantagens sobre este metal precioso: em particular, o Bitcoin é muito mais transportável e serve melhor como meio de troca.

No entanto, apesar dessas vantagens, Miller crê que o Bitcoin ainda não se tornou um sistema de pagamento eficiente ou uma moeda viável. O investidor também expressou a opinião de que, se a capitalização do Bitcoin tivesse alcançado pelo menos um terço do valor total de mercado do ouro, os bancos certamente considerariam a criptomoeda como um ativo confiável.

Bill Miller fez seu primeiro investimento em criptomoeda ainda em 2014, quando investiu 1% de seus ativos líquidos. No momento, o fundador da Miller Value Partners já está muito além dos 60 e se autodenomina “especialista em Bitcoin”.

Ainda no contexto de notícias a respeito de Bill Miller, lembramos que em outubro do ano passado, a parcela de Bitcoin no fundo de hedge MVP1 aumentou quase seis vezes ao longo de 2016 e passou a representar cerca de 30% dos US$154 milhões em que o fundo estava avaliado. É possível ler mais sobre isso aqui.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment