Binance abrirá filial na Coréia do Sul

ote que essa Exchange não trabalha com compra direta por fiat, apenas criptomoedas. Ao utilizar a Binance, portanto, é necessário que o usuário possua uma certa quantia em criptomoedas em sua carteira (especialmente Bitcoin), considerando-se que a maioria das trocas é feita entre BTC/Altcoin.

Publicado em 24 de julho de 2018 por

Depois que o CEO da Binance, Changpeng Zhao, salientou a grande importância do mercado criptomonetário sul-coreano, a mídia local sugeriu que logo no país seria aberta uma filial da corretora. De acordo com a Business Korea, a Binance já está procurando gerentes para a nova divisão.

A publicação também apontou para o fato de que a Binance recentemente adicionou suporte ao idioma coreano e contratou dois representantes da indústria criptomonetária local para o cargo de diretor de marketing local e chefe do fundo Binance Labs.

Vale destacar que o interesse nessa grande plataforma pela jurisdição sul-coreana é explicado pela disposição dos legisladores locais não apenas de considerar vários atos normativos e legais para regular o setor de criptomoedas, mas também de suspender a proibição de ICOs, que entrou em vigor no ano passado.

Vale acrescentar que, em geral, a Binance planeja abrir de 3 a 5 filiais locais em 2018: há menos de um mês, por exemplo, a empresa anunciou o lançamento de uma nova plataforma de negociação em Uganda, com suporte para negociação em fiat.

Ainda em menção à Binance, no início de julho, a corretora publicou um relatório anual, segundo o qual, no 175º dia de funcionamento da plataforma, seu volume de negociação atingiu US$10 bilhões.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment