Bitcoin Core 0.17.0. terá transações parcialmente assinadas e nova linguagem para chaves privadas

Os desenvolvedores do Bitcoin Core, Gregory Maxwell, Andrew Poelstra, Yannick Seurin e Peter Welle, publicaram o White Paper a respeito da introdução do esquema de autenticação e assinatura eletrônica Shnorr ao protocolo Bitcoin para resolver o problema da escala.

Publicado em 4 de setembro de 2018 por

Os desenvolvedores do Bitcoin Core, o cliente mais popular de Bitcoin, estão se preparando para o lançamento da nova versão principal do software, que conterá uma série de novas interessantes e esperadas funções.  

Embora a data exata de lançamento ainda não tenha sido anunciada, a versão pré-lançamento do Bitcoin Core 0.17.0 já está disponível no Github e atualmente está sendo testada para detectar possíveis bugs e erros.

Em particular, o lançamento terá como objetivo melhorar a carteira nativa, onde as chaves privadas são armazenadas. Para este fim, Bitcoin Core 0.17.0 terá uma nova linguagem que facilita a transferência da chave de uma carteira para outra.

Para isso, os chamados descritores de canais de saída são usados: o método originalmente proposto por Peter Welle, que ajudará a garantir a preservação das informações ao fazer transações multisig (transações que exigem várias assinaturas) ou, por exemplo, ao realizar pagamentos Lightning.

Descritores de canais de saída fornecem chaves na rede do Bitcoin, tanto públicas quanto privadas, usando um rótulo especial, que descreve quem pode usá-las.

“Isso é algo novo, que muda o próprio conceito de chaves, endereços e carteiras”, afirmou John Newberry, o engenheiro da Chaincode que recentemente falou em Londres com uma apresentação do Bitcoin Core 0.17.0, sobre o método de Peter Welle.

Newberry também observou que o próximo lançamento do novo cliente será apenas o primeiro pequeno passo voltado para a aplicação prática desta linguagem. Como os desenvolvedores esperam, em versões futuras ele estará inicialmente presente na base de código.

Transações assinadas parcialmente

Outra inovação do Bitcoin Core 0.17.0, que, como esperam os desenvolvedores, no futuro levará a algo mais, é o suporte para BIP-174 (Transações de Bitcoin Parcialmente Assinadas – PSBT em sigla inglês). O novo formato de transação foi desenvolvido por Andrew Chow, e é baseado na possibilidade de enviar uma transação antes de a mesma ser totalmente assinada.

Como diz a descrição do método, ele é projetado para simplificar os processos em situações em que várias partes estão envolvidas em uma transação. Como exemplos, transações multisig são citadas novamente, bem como mixagem (CoinJoin) e carteiras de hardware.

A menção de carteiras de hardware é realmente interessante: carteiras existentes de hardware (Ledger, Trezor, KeepKey, etc.) podem oferecer melhor segurança de armazenamento, mas cada uma delas interage com o software de uma maneira diferente e nem sempre é compatível com ele. Por exemplo, a popular carteira Trezor só suporta o Electrum e não pode se conectar ao Bitcoin Core ou outro software.

É esse problema que o BIP-174 elimina, tornando-se o padrão que qualquer carteira pode usar. Os fabricantes já reagiram ao método proposto: sem esperar pelo lançamento do Bitcoin Core 0.17.0, a tecnologia de transações parcialmente assinadas foi introduzida na COLDCARDWALLET da equipe Opendime.

Criação dinâmica de carteiras

Outra nova função fornece a capacidade de carregar e criar carteiras dinamicamente. Se na versão atual a criação de mais de uma carteira só é possível ao iniciar o cliente Bitcoin Core, o que exige especificar as opções necessárias na configuração, com o lançamento da nova versão, isso poderá ser feito durante a operação do cliente.

Coin selection

Quando vários pagamentos são feitos a um endereço, as moedas desses pagamentos individuais podem ser gastas separadamente. No entanto, devido ao fato de que os endereços estão vinculados, a privacidade dos usuários está ameaçada.

A função “Coin Selection” é projetada para resolver esse problema: na nova versão, haverá uma opção avoidpartialspends, que, ao ser escolhida, garantirá que a carteira sempre gaste saídas de transações não gastas (UTXO) existentes recebidas pelo mesmo endereço, mesmo que isso leve a comissões mais altas.

Atualização para carteiras HD

Começando com o Bitcoin Core 0.13.0, a criação de novas carteiras determinadas hierarquicamente (HD) é suportada – na versão antiga, a atualização de carteiras para a versão HD era impossível. Agora, no entanto, o usuário já pode fazer isso usando a função upgradewallet na linha de comando. Desenvolvedores ressaltam que o backup preliminar da carteira é obrigatório.

Índice de transações

O índice de transação agora é criado separadamente do nó, o que significa que é possível ativar ou desativar a opção -txindex sem indexar totalmente a blockchain. Se o bitcoind trabalhar com a opção -txindex ativada no nó, que já foi totalmente ou parcialmente sincronizada, o índice de transações é realizado em segundo plano e estará disponível quando o processo for concluído.

Se a função -txindex estiver desativada, o banco de dados de índice de transações não será excluído automaticamente e o usuário poderá retornar a ele no futuro sem a necessidade de realizar uma nova sincronização.

Tamanho do bloco

O suporte para a opção -blockmaxsize, que permite que os mineradores limitem o tamanho do bloco, foi descontinuado a partir da versão 0.15.1 e agora esta função foi completamente removida. Em vez disso, os mineradores, caso queiram limitar o peso do seu bloco, devem usar a opção -blockmaxweight.

Estes não são todos recursos novos que serão incluídos no Bitcoin Core 0.17.0. A lista completa estará disponível nas informações que acompanharão o lançamento oficial.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment