Ao mesmo tempo, o Bitcoin e a Internet das Coisas (IoT) estão se tornando um elemento ainda mais integral da indústria de energia solar.

Devido ao seu crescimento sem precedentes, a importância econômica da indústria de energia solar está superando a da indústria de energia de combustível. O crescimento exponencial da indústria solar impulsionou os empregos solares em 25% desde 2015, informou a Fundação Solar. Ao mesmo tempo, o Bitcoin e a Internet das Coisas (IoT) estão se tornando um elemento ainda mais integral da indústria de energia solar.

Crescimento maciço da energia solar

A queda dos custos de instalação está entre os principais fatores que impulsionam o boom da energia solar. Um indicador-chave deste crescimento extraordinário é o número de empregos que a indústria solar vem criando.

De acordo com a Solar Foundation, “O Solar Jobs Census 2016 descobriu que o emprego relacionado à energia solar aumentou em mais de 51.000 trabalhadores, um crescimento de 25% com relação a 2015. Globalmente, o Solar Jobs Censo descobriu que haviam 260.077 trabalhadores em energia solar em 2016.”

O relatório estima que a indústria continuará a sustentar seu crescimento, prevendo que o emprego relacionado a energia solar aumentará em 10%, chegando a incríveis 286.335 trabalhadores nos próximos 12 meses. Agora, nos EUA, a indústria de energia solar criou um de cada cinquenta novos empregos. Como resultado, o número de empregos da indústria de energia solar é duas vezes maior do que o número de empregos da indústria de energia a carvão.

Outro indicador-chave é o número de instalações fotovoltaicas, que estão quebrando recordes históricos nos EUA, particularmente durante o terceiro trimestre de 2016.

O crescimento da indústria de energia solar é realmente dramático. A Associação de Indústrias de Energia Solar (SEIA) relata que “4,143 megawatts (MW) de PV solar foram instalados nos EUA no terceiro trimestre do ano, uma taxa de um MW a cada 32 minutos. Esse ritmo é ainda mais rápido hoje, já que o quarto trimestre superará o total histórico do último trimestre”.

Bitcoin, parceira da Indústria de Energia Solar

O Bitcoin e a indústria de energia solar estão cada vez mais interligados. Por exemplo, comprar painéis solares com Bitcoins está se tornando mais fácil. Diversos negócios, tais como gogreensolar.com, AM Solar, e Spendabit, oferecem jogos completos de painel solar e aceitam Bitcoin como pagamento.

Além disso, muitos especialistas acreditam que a tecnologia de blockchain do Bitcoin pode ajudar a resolver problemas fundamentais relacionados com a indústria de energia, em particular a distribuição e comercialização.

Laurent Schmitt, Líder de Estratégia de Redes Inteligentes para as Soluções de Grid da GE, diz: “O problema da energia renovável ‘demais’ em uma grade energética pode ser resolvido com a blockchain, uma tecnologia associada com mais frequência ao Bitcoin. A Blockchain fornecerá uma maneira transparente para que as famílias e as empresas troquem ativos renováveis entre si”.

A este respeito, uma startup australiana, Power Ledger, anunciou em 1º de dezembro de 2016, o lançamento do primeiro mercado de comércio de eletricidade residencial “gerenciados em blockchain” da Austrália. Este mercado facilita a venda de energia renovável excedente produzida em empreendimentos residenciais e comerciais ligados a redes de distribuição de eletricidade existentes ou dentro de microgrades.

“A Power Ledger coloca o poder de gerenciar a economia de energia nas mãos dos consumidores, mantendo o valor das redes de distribuição existentes”, afirma o site da Power Ledger.

IoT e Bitcoin reforçam sistemas de energia

Graças ao poder combinado da Internet das Coisas, com a tecnologia Bitcoin e do armazenamento de energia da comunidade, conceitos inovadores de microgrades elétricas estão se tornando uma realidade.

“O armazenamento comunitário, a geração distribuída, as frotas de veículos elétricos e o gerenciamento coordenado de carga podem ser ativados por IoT, aprendizado de máquinas e blockchains. Estamos explorando como isso vai tornar o sistema de energia mais eficiente e limpo “, afirma o site da IDEO Colab.

Especificamente, a cadeia transacional baseada em blockchain, a Transactive Grid fornece medição em tempo real da produção local de energia, seu uso e outros dados relevantes, permitindo aos usuários negociar energia abertamente nessa plataforma. Este projeto, que começou no Brooklyn, um bairro de Nova York, atraiu agora o interesse da gigante tecnológica Siemens.

De acordo com um comunicado de imprensa da LO3 Energy e da Siemens: “A micrograde elétrica planejada para o Brooklyn, que começou como um projeto piloto da LO3 Energy, está agora sendo desenvolvida com a ajuda da Siemens Digital Grid nos EUA. Pela primeira vez, uma solução de controle de micrograde da Siemens está sendo combinado com a plataforma de negociação peer-to-peer da LO3 Energy, conhecida como Transactive Grid”.

A tecnologia de blockchain do Bitcoin, a IoT e outras tecnologias da Quarta Revolução Industrial continuarão alimentando o crescimento da indústria de energia solar com um ímpeto crescente, facilitando a criação de soluções surpreendentes para gerar, distribuir e comercializar fontes solares e outras fontes de energia renováveis.