Bitewei competirá com gigante Bitmain

A Bitmain, maior fabricante de equipamentos para mineração, parece estar enfrentando um sério concorrente. Trata-se da empresa Bitewei, de Shenzhen, liderada pelo ex-diretor de desenvolvimento da Bitmain, Yang Zuo Xing.

Publicado em 13 de setembro de 2018 por

A Bitmain, maior fabricante de equipamentos para mineração, parece estar enfrentando um sério concorrente. Trata-se da empresa Bitewei, de Shenzhen, liderada pelo ex-diretor de desenvolvimento da Bitmain, Yang Zuo Xing. Isso foi relatado pela CoinDesk.

A Bitewei já arrecadou US$20 milhões para desenvolver novos chips e planeja permanecer no mercado. Veteranos da indústria acreditam que o novo fabricante pode representar uma concorrência real para a Bitmain. De acordo com Tyler Xiong, o diretor operacional do pool Bixin, a linha de chips Whatsminer é muito interessante.

Em breve ocorrerá o lançamento da mineradora ASIC chamada WhatsMiner M10 – de acordo com os resultados do teste da Bitewei, ela é 30% mais eficiente em termos energéticos que a AntMiner S9 Hydro, o novo produto da Bitmain.

Yang Zuo Xing disse que a empresa já coletou mais de mil pré-encomendas (disponibilizadas em meados de dezembro) para o novo dispositivo. Equipamentos do primeiro lote devem ser recebidas pelos usuários depois de 19 de setembro. Com um preço de cerca de US$1,6 mil por cada WhatsMiner M10, a Bitewei conseguiu arrecadar mais de US$1,6 milhão.

“Deve haver muito mais fabricantes no setor de equipamentos para mineração, especialmente se pudermos descobrir o segredo desse desempenho da WhatsMiner”, afirmou David Vorick, diretor da Obelisk.

Outros, no entanto, enfatizam que a eficiência não é tudo: é preciso provar a eficiência do modelo de negócios e evitar todas as “armadilhas” do mercado.

Sabe-se que a WhatsMiner M10 gasta 66-68 watts de eletricidade por cada terahash. De acordo com as especificações oficiais da Bitmain, a AntMiner S9 Hydro consome 96 watts por terahash.

Recentemente, surgiram mineradoras ASIC construídas na base da tecnologia de chips de 7 nanômetros e, de acordo com Yang Zuo Xing, no próximo ano, a Bitewei também lançará chips na base deste processo tecnológico.

Yang também ressaltou que a Bitewei não se importa com a significativa e duradoura correção da taxa do Bitcoin. Ele lembrou o ano de 2014, quando o preço do BTC esteve em declínio durante o ano inteiro.

“Nada pode abalar o entusiasmo das pessoas dentro da indústria. Empresas externas, como a Intel ou a Nvidia, podem estar hesitando, mas nós, não”, disse o chefe da Bitewei.

Yang ressaltou que o objetivo da Bitewei é se tornar o maior fabricante de chips. Falando nisso, no futuro, a empresa não se limitará a produzir chips exclusivamente para mineradores.

“A participação dos nossos mineradores no mercado pode exceder 50%. Mas o nosso próprio hashrate nunca excederá 50% do hashrate da rede. Na verdade, dez por cento será suficiente”, salientou o chefe da Bitewei.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment