Bitmain revela poder de computação que controla

A Bitmain está sigilosamente se preparando para abrir vários centros localizados no Noroeste dos EUA para a produção de criptomoedas.

Publicado em 26 de julho de 2018 por

A Bitmain, maior fabricante de equipamentos de mineração, se comprometeu a atualizar dados sobre sua própria capacidade de mineração a cada 30 dias e mostrar o hashrate que a empresa controla em três algoritmos: SHA256, ETHASH e SCRYPT.

A Bitmain afirma que possui os seguintes poderes de computação: 1692.05 Petahash/sec no algoritmo SHA256, 339.69 Gigahash/sec no ETHASH e apenas 44.19 Gigahash/sec no SCRYPT.

Bitmain revela poder de computação que controla. BTCSoul.com

Cobra, co-fundador do bitcoin.org e do bitcointalk.org, e conhecido por sua radical antipatia em relação à Bitmain, imediatamente ridicularizou os dados publicados pela empresa: ele está convencido da necessidade de abandonar o atual algoritmo Proof-Of-Work, o que, em sua opinião, é necessário para se livrar do monopólio da Bitmain.

“Então a Bitmain controla apenas 3% do poder de processamento existente no algoritmo SHA256… Eles não têm vergonha na cara, já que estão tentando vender esse absurdo para a gente”, escreveu o cofundador do bitcointalk.org.

A Bitmain também negou as acusações de que suas pools produzem blocos vazios de propósito, neste contexto, representantes da organização acreditam que o problema de gerar blocos vazios existe a nível de protocolo.

Além disso, a empresa prometeu publicar dados sobre o número de novos mineradores no primeiro lote e datas de entrega.

Por fim, ainda em menção à Bitmain, lembramos que anteriormente, foi relatado na penúltima semana de junho, as pools BTC.com e Antpool, controlados pela Bitmain, produziram 25,5% e 16,5% de todos os blocos de Bitcoin, respectivamente.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment