BlackRock se absterá de lançar ETF de Bitcoin até que setor seja “legitimizado”

A BlackRock, maior empresa de investimentos do mundo, não oferecerá um exchange-traded fund (ETF) a seus clientes até que o setor se torne maduro o suficiente.

Publicado em 6 de novembro de 2018 por

A BlackRock, maior empresa de investimentos do mundo, não oferecerá um exchange-traded fund (ETF) a seus clientes até que o setor se torne maduro o suficiente. Essa declaração foi feita na quinta-feira, dia 1 de novembro, pelo CEO da empresa, Larry Fink, na conferência New York Times Dealbook Conference e divulgada pela CNBC.

Respondendo à pergunta sobre se a BlackRock estava considerando o lançamento de um ETF do Bitcoin, Larry Fink respondeu:

“Eu não vou dizer nunca. Quando ela [a indústria] se tornar legítima, sim”.

É de conhecimento geral que a Securities and Exchange Commission (SEC) dos EUA ainda tem dúvidas sobre o ETF do Bitcoin, e não tomou uma decisão positiva sobre qualquer um dos inúmeros pedidos. Entre os pontos preocupantes, a Comissão cita a insuficiente proteção dos investidores e a possibilidade de manipulação do mercado.

“O apoio do governo é definitivamente necessário. Mas nenhum governo vai permitir isso até saber que esse dinheiro não é usado para evasão de impostos e outras coisas desse tipo”, salientou Larry Fink.

Vale notar que muitas pessoas erroneamente chamam o Bitcoin de anônimo, e que com o CEO da BlackRock, não foi diferente, uma vez que ele caiu nessa armadilha quando indicou que essa propriedade pode ser um dos fatores de risco no que se refere ao BTC.

“Podemos lançar negociações para uma moeda que é um meio de preservar valores dentro de um dia. Mas no momento, o mundo não precisa de um meio de preservar valores, a menos que você mantenha esses valores para fazer o que é ilegal”, acrescentou ele.

Adicionalmente, Larry Fink mais uma vez afirmou que a BlackRock acredita no potencial da tecnologia de Blockchain, que pode ser empregada em vários produtos atualmente gerenciados por meio de fluxo de trabalho em papel. Como exemplo, ele citou empréstimos hipotecários e outros tipos de hipoteca.

Por fim, e ainda em menção à BlackRock, lembramos que anteriormente, a empresa anunciou a criação de um grupo de trabalho para estudar o mercado de criptomoedas, a intenção do projeto era avaliar, com a ajuda de diversos profissionais de diferentes áreas de negócios, o impacto que a Blockchain poderia ter na BlackRock.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment