china mobile blockchain

Uma divisão de IoT da maior operadora de telefonia móvel do mundo, A China Mobile, desenvolveu um purificador de água, que usa a tecnologia de blockchain, relata CoinDesk.

O dispositivo inovador tem um chip de computador e um módulo IoT embutidos. O purificador coleta dados de comportamento do usuário que podem ser benéficos para fabricantes e fornecedores. O dispositivo grava dados na blockchain pública SWTC, desenvolvida pela Jingtum, um parceiro técnico da China Mobile.

Os usuários podem ganhar tokens PWMC, cujo número depende da intensidade de uso do dispositivo. As moedas acumuladas podem ser usadas para comprar filtros de reposição para purificadores de água e outros produtos.

De acordo com o representante da divisão da China Mobile, Xiao Yi, este sistema de incentivos é único e eficaz. Não existem soluções desse tipo em outros dispositivos da Internet das coisas. Além disso, a nova solução torna a tecnologia de blockchain disponível para o usuário médio que “não gasta todo o seu tempo em negociação de criptomoedas”.

“Nosso objetivo é atrair aqueles que não estão envolvidos nas comunidades de criptomoedas e de blockchain, aqueles que podem ter ouvido falar sobre essa tecnologia, mas não necessariamente a entendem”, diz Xiao Yi. “Para conseguir a adoção geral, precisamos transformar algo que parece especializado em uma coisa muito simples”.

Vale notar que o novo dispositivo está longe de ser produzido em massa. No momento, produto só pode ser comprado pelos participantes da campanha de crowdfunding, que é realizada na plataforma do JD.com.

Existem ainda as TVs baseadas em blockchain

Os purificadores de água foram introduzidos após TVs com suporte a blockchain, que começaram a ser vendidas pela China Mobile no dia 11 de novembro do ano passado.

Essas TVs também têm módulos IoT integrados e chips conectados à rede SWTC como nós separados que registram as informações de comportamento do usuário.

Além disso, o proprietário de tal televisão pode ativar um contrato de mineração em nuvem do Bitcoin, fornecido pela empresa parceira Chain Infinity. Dependendo do modelo do dispositivo, o contrato pode ser de dois a três anos. Depois que expira, o dono da TV recebe os Bitcoins.

De acordo com a China Mobile, purificadores de água e TVs baseadas em blockchain são projetados para demonstrar o valor da tecnologia que pode ser usada em produtos domésticos comuns.

Lembramos que a primeira TV do mundo com a função de mineração foi lançada pela empresa chinesa Canaan Creative.