Circle e Bitmain lançarão análogo a dólar tokenizado Tether

A startup criptomonetária Circle fechou a próxima rodada de financiamento da série E, liderada pela maior fabricante de equipamentos de mineração, a Bitmain, com a participação da Accel, Blockchain Capital, Breyer, General Catalyst, IDG, Pantera e Tusk Ventures.

Publicado em 18 de Maio de 2018 por

A startup criptomonetária Circle fechou a próxima rodada de financiamento da série E, liderada pela maior fabricante de equipamentos de mineração, a Bitmain, com a participação da Accel, Blockchain Capital, Breyer, General Catalyst, IDG, Pantera e Tusk Ventures. Isso foi relatado pela CoinDesk.

Graças aos US$110 milhões recentemente arrecadados, a capitalização da empresa chegou perto de US$3 bilhões. No contexto desta notícia, a Circle anunciou o lançamento de seu próprio “token de dólar”.

O ambicioso plano para fortalecer a posição dos produtos e serviços da Circle no mercado de criptomoedas implica a criação de um ativo nativo de Blockchain que atenda a todos os requisitos regulatórios e seja garantido pela moeda nacional dos Estados Unidos. O projeto será lançado com base na iniciativa CENTRE.

Jeremy Allaire, CEO da Circle, descreveu a atual rodada de financiamento “confirmando que a empresa é um verdadeiro conglomerado de serviços criptomonetários, não apenas uma corretora ou startup de pagamento”.

“A parte fundamental da nossa visão é protocolos abertos que permitem a livre circulação de valor. Um dos aspectos mais importantes é a existência de padrões abertos e interoperáveis para a transferência de dinheiro dentro das Blockchains. É aqui que os “coins estáveis” e protocolos de pagamento podem ajudar”, afirmou Allaire.

Segundo ele, o Stablecoin é mais que apenas uma novidade técnica. O diretor da Circle observou a importância do projeto para “crescer” e expandir a empresa, chamando-o de “elemento integrante dos aplicativos móveis para pagamentos, serviços de troca e negociação OTC”.

No âmbito dessa visão, acrescentou Allaire, a gigante Bitmain é uma escolha lógica para o papel do organizador da rodada de financiamento. Vale notar que em março, o diretor da Bitmain, Jihan Wu, visitou uma série de grandes conferências americanas, onde enfatizou que sua empresa está pronta para apoiar alternativas de alta tecnologia para os bancos centrais.

“Jihan é um visionário, que defende a transformação do sistema financeiro global. Ele acredita no potencial de longo prazo da Circle”, acrescentou Allaire.

Embora o aumento da capitalização e os resultados da atual rodada de financiamento tenham atraído a maior parte da atenção da mídia, o lançamento de uma criptomoeda garantida pelo dólar e apoiada pela Bitmain pode ter um impacto muito maior sobre o mercado criptomonetário.

Segundo Allaire, esse é um passo estratégico voltado para um dos aspectos mais importantes da economia das criptomoedas.

“Esta é uma grande parte do mercado, já que adquirimos a Poloniex, que é uma corretora exclusivamente criptomonetária. Neste tipo de site, as pessoas usam algo como o Tether, e estamos vendo muitos pontos fracos e problemas associados a esse token”, disse Allaire.

Note que o dólar tokenizado USDT, bem como a empresa Tether, que o emite, e a corretora Bitfinex, têm atraído bastante atenção: em abril, por exemplo, vários meios de comunicação informaram que a Bitfinex estava sendo usada para lavar dinheiro de cartéis de drogas colombianos e, um pouco antes, o site declarou uma guerra legal contra um conhecido blogueiro criptomonetário que regularmente criticava a empresa.

Por sua vez, muitos especialistas notam que a Tether representa uma séria ameaça ao mercado de criptomoedas. Houve uma época em que o Bitcoin caiu abaixo de US$10 mil em meio a relatos sobre o interesse na startup por parte dos reguladores americanos. Muitos usuários e especialistas vêm acusando a Tether de liberar grandes quantidades de tokens USDT não suportados que são negociados em várias corretoras, incluindo Bitfinex e Poloniex.

Além disso, foi repetidamente declarado que a emissão descontrolada do USDT se tornou a razão para o acentuado aumento no preço do Bitcoin e outras criptomoedas que foi seguido por uma queda em janeiro no final do ano passado.

A iniciativa da Circle, que recebeu um nome não muito original (USD-C) está posicionada como um projeto de código aberto e modelo de gerenciamento mais avançado.

De acordo com a ideia dos criadores, instituições financeiras reguladas, sejam corretoras ou serviços de pagamento, receberão autorização da CENTRE para emitir uma “moeda estável”, enquanto muitas delas já prestam serviços para a emissão de criptomoedas apoiadas pelo dinheiro fiat.

“A Circle pode ser o emissor de um coin baseado no dólar, a Square também pode. Se eu recebesse tokens de USD da Circle, eu poderia transferi-los livremente para a carteira digital de outra emissora”, acrescentou Allaire.

Ele também observou que o fortalecimento global das posições e desenvolvimento dos ecossistemas de troca e da “criptomoeda fiat” beneficiará outros produtos da Circle, incluindo aplicativos financeiros móveis.

A empresa publicou um novo WhitePaper de seu projeto e uma lista de perguntas frequentes que se destina a lançar luz sobre muitos aspectos do USD-C: o documento especifica, por exemplo, que os tokens serão lançados com base na Blockchain do Ethereum.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment