Coinbase recebe aprovação de reguladores para listar tokens de segurança

A Securities and Exchange Commission dos Estados Unidos (SEC) começou a considerar duas ofertas de fundos de índice de Bitcoin (ETF) sem qualquer publicidade. A julgar pelos documentos datados de 23 de março e publicados no dia anterior, a agência já está se preparando para os procedimentos formais pertinentes.

Publicado em 17 de julho de 2018 por

A Securities and Exchange Commission (SEC) dos Estados Unidos e a Financial Industry Regulatory Authority (FINRA) aprovaram um acordo para a compra das corretoras Keystone Capital Corp., Venovate Marketplace Inc. e Digital Wealth LLC pela Coinbase, empresa americana de criptomoedas.

Como observou o porta-voz da empresa, esta posição dos reguladores indica que a Coinbase obteve as licenças de corretor, vendedor, sistema de comércio alternativo (ATS) e consultor de investimento registrado (RIA), o que lhe permitirá adicionar tokens com propriedades de valores mobiliários à sua listagem. Note que além disso, a plataforma passará pela supervisão das autoridades federais.

O próximo passo será a introdução das tecnologias da corretora na operação dos corretores adquiridos. Vale ressaltar que o representante da empresa não especificou termos exatos para isso.

Informações sobre a compra da Keystone Capital Corp. surgiram ainda no início de junho, quando a Coinbase anunciou pela primeira vez sua intenção de se tornar uma corretora regulamentada.

Ainda no contexto de notícias referentes à Coinbase, ressaltamos que anteriormente, a corretora anunciou o possível suporte a Cardano (ADA), Basic Attention Token (BAT), Stellar Lumens (XLM), ZCash (ZEC) e 0x (ZRX). Provavelmente, de acordo com o teste de Howey, algumas dessas criptomoedas serão reconhecidas como valores mobiliários nos EUA.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment