Coincheck confirma roubo de mais de meio bilhão de dólares em NEM

Os hackers que roubaram 500 milhões de tokens NEM (XEM) da corretora japonesa Coincheck no final de janeiro, podem, no momento, já ter lavado a maior parte dos fundos. Isto foi relatado pela Nikkei com referência aos dados de pesquisa da empresa L Plus, baseada em Tóquio e especializada em segurança cibernética.

Publicado em 27 de Janeiro de 2018 por

Uma das maiores corretoras de criptomoedas do Japão, a Coincheck, confirmou nesta sexta-feira, dia 26 de janeiro, um grande roubo de fundos da plataforma. Um total de 58 bilhões de ienes (US$533 milhões) foi levado na criptomoeda NEM (XEM).27

Mais cedo, a Coincheck suspendeu operações com NEM e outras altcoins depois que mais de 100 milhões de XRPs (cerca de US$123,5 milhões) foram retirados da carteira da empresa e transferidos a outra carteira desconhecida.

Ao mesmo tempo, relatórios não confirmados foram recebidos naquela época afirmando que intrusos desconhecidos haviam retirado outros US$600 milhões em NEM da Exchange.

Pouco depois, representantes da Coincheck realizaram uma conferência de imprensa, onde informaram oficialmente a perda de 58 bilhões de ienes.

De acordo com o Nikkei, a corretora de valores já informou o roubo de fundos à Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) e às agências de aplicação da lei. A Coincheck também assegurou que está estudando formas de compensar os usuários.

Também esteve presente na conferência de imprensa o presidente da Fundação NEM, Lon Wong. De acordo com ele, do ponto de vista técnico, as retiradas em NEM não deveriam ser de responsabilidade exclusiva da Coincheck.

“Quanto ao NEM, a tecnologia está tudo bem. Não planejamos um fork [para um reembolso]”, afirmou Lon Wong.

Publicidade

Publicidade

Ele também recomendou que todas as corretoras utilizem o contrato proposto pelo NEM – com função de assinatura múltipla. Chamando-o de “um dos melhores da indústria”, Lon Wong observou que a Coincheck desconsiderou seu uso, tornando mais fácil a ação do hacker.

“Este é um dos maiores roubos na história”, acrescentou o presidente da Fundação NEM, ressaltando que apenas uma conta está envolvida no roubo e que a organização tentará rastreá-la.

Apesar das garantias da NEM Foundation, a notícia da quebra da Coincheck e do roubo de uma quantia tão grande levou a um declínio acentuado no XEM: as negociações no início do dia de hoje ficaram em torno de US$1,02 – em um curto período de tempo, a moeda caiu para US$0,76, após o que se recuperou um pouco.

O repórter japonês, Yuji Nakamura, escreveu as principais conclusões e teses da conferência de imprensa:

  • Hackers sequestraram apenas NEM
  • A corretora planeja continuar o trabalho após reinício
  • Formas de devolver os fundos para os investidores estão sendo estudadas, contudo, ainda não se tem ideia de como fazer isso
  • A funcionalidade de assinatura múltipla não foi utilizada
  • A corretora de valores não reconhece suas omissões em relação à segurança
  • A corretora não tem ideia de onde os hackers saíram
  • O CEO da Exchange foi extremamente lacônico
Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment