Corretoras japonesas de criptomoedas paralisam negociação de Monero, Dash e Zcash

Os hackers que roubaram 500 milhões de tokens NEM (XEM) da corretora japonesa Coincheck no final de janeiro, podem, no momento, já ter lavado a maior parte dos fundos. Isto foi relatado pela Nikkei com referência aos dados de pesquisa da empresa L Plus, baseada em Tóquio e especializada em segurança cibernética.

Publicado em 21 de Maio de 2018 por

A líder do mercado de criptomoedas no Japão, Coincheck, confirmou a suspensão da negociação das criptomoedas Monero, Dash e Zcash, que visam um maior anonimato em suas transações.

Publicidade

Publicidade

Como indicado na mensagem do site oficial da corretora, esta decisão foi tomada devido a uma ordem recebida pela empresa da Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA), que fala sobre a necessidade de melhorar os processos de negócios, através, inclusive, do fortalecimento de medidas para o cumprimento da legislação AML e da evitação da sonegação de impostos.

A negociação das moedas listadas acima será realizada até o dia 16 de junho. Antes dessa data, os usuários precisam retirar seus fundos para suas carteiras ou trocá-los por outros ativos negociados na plataforma.

Além do Monero, Dash e Zcash, a Coincheck também removerá o Token Augur de sua listagem.

Rumores de que as bolsas de valores japonesas podem ser obrigadas a desistir da negociação de Monero, Dash e Zcash surgiram no final de abril. Posteriormente, a Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) confirmou essas intenções, quando se soube que, para proteger os investidores e reduzir os riscos de ataques de hackers em grande escala, os requisitos para as corretoras de criptomoedas locais serão enrijecidos até janeiro.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment