Desenvolvedores do Ethereum adiam Constantinople em rede Ropsten

Representantes da comunidade Ethereum votaram contra o desbloqueio dos 513 mil ETH (US$ 350 milhões) retidos em carteiras Parity. Os fundos foram congelados como resultado de uma vulnerabilidade no contrato inteligente 0x863DF6BFa4469f3ead0bE8f9F2AAE51c91A907b4.

Publicado em 5 de outubro de 2018 por

Desenvolvedores do Ethereum anunciaram o adiamento da data de ativação do Constantinople na rede Ropsten. Isso foi relatado pela CoinDesk.

A principal razão para o atraso é a necessidade de tempo adicional para que os nós dos operadores na rede Ethereum respondam à vulnerabilidade identificada em uma das cinco atualizações do Constantinople.

Além disso, os desenvolvedores estão confiantes de que o adiamento da atualização permitirá que os usuários da rede Ropsten testem outras soluções para o Ethereum, incluindo a tecnologia Raiden, de escalabilidade off-chain. Eles também serão capazes de se preparar para a possível divisão da cadeia que resultará da implementação do Constantinople.

A atualização requer um hardfork e envolve uma série de mudanças que afetam as recompensas para mineradores, execução de código, armazenamento de dados, etc. Os nós ativos da rede de testes Ropsten devem estar prontos para implementar essas mudanças de uma só vez para evitar o risco de separação da Blockchain.

De acordo com Lefteris Karapetsas, desenvolvedor da rede Raiden, até mesmo uma divisão temporária da Ropsten fará com que testes adicionais sejam “quase impossíveis”. Adicionalmente, ele observa que seu projeto “está quase pronto para ser lançado na rede principal”.

Para evitar problemas indesejáveis com a rede de testes do Ethereum, o desenvolvedor Alexey Akhunov sugeriu o lançamento de uma alternativa temporária para a rede Ropsten. Isso, ele alega, ajudaria a resolver os problemas mais óbvios no código antes dos testes completos na rede Ropsten.

A nova data de lançamento da atualização Constantinople na Ropsten está marcada pelos desenvolvedores e usuários da rede de testes para dia 14 de outubro, e acontecerá aproximadamente no bloco de número 4.230.000.

Constantinople é a segunda parte do hardfork Metropolis e sugere mudanças para melhorar o desempenho da plataforma Ethereum, mudar sua política monetária e adiar a chamada “bomba da complexidade”.

Vale notar que sua ativação na rede de testes já foi adiada anteriormente.

Lambramos também que no mês passado, os desenvolvedores da Parity integraram o código do Constantinople em seu cliente do Ethereum.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment